Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Opinião
Carlos Albuquerque 10 de Setembro de 2013 às 00:01

Chegam-nos as bolhas coloridas de sabão

É pouco importante que se cuidem de equilíbrios de longo prazo. Ou mesmo dos níveis de endividamento. E até das responsabilidades que endereçamos às próximas gerações. Afinal, a longo prazo estaremos todos mortos.

  • Assine já 1€/1 mês
  • 1
  • ...

A FRASE...

 

"Há uma frase famosa de Keynes que diz que, no longo prazo, as economias recuperam mas estamos todos mortos."

 

Joseph Stiglitz, entrevista ao Expresso, 7 de Setembro de 2013

 

A ANÁLISE...

 

É uma das famosas frases de Keynes. Extremamente útil para justificar todas as intervenções governamentais nas economias. Especial para fazer crescer o consumo público. Prestável para manter as taxas de juro a níveis baixos. Boa para articular o multiplicador com a despesa e criar a ilusão do crescimento, abdicando da poupança.

Verdade que Keynes defendia a existência de excedentes nas contas públicas nos momentos altos da conjuntura, para se criar margem suficiente para estimular a economia nos tempos mais difíceis. Mas por regra os governos apenas veem a metade da história e mantêm défices orçamentais independentemente da fase do ciclo económico. Sempre em nome dos cidadãos. É pouco importante que se cuidem de equilíbrios de longo prazo. Ou mesmo dos níveis de endividamento. E até das responsabilidades que endereçamos às próximas gerações. Afinal, a longo prazo estaremos todos mortos.

Outro keynesiano, Krugmann, referia no NY Times em agosto de 2002, que para combater a recessão, a Reserva Federal "... needs soaring household spending to offset moribund business investment. And to do that, ..., Alan Greenspan needs to create a housing bubble to replace the Nasdaq bubble". Resultou? Resultou na crise atual, como não podia deixar de ser. Será que queremos que nos deem sugestões para novas bolhas? Não, obrigado. Para divertimento, chegam-nos as bolhas coloridas de sabão. Porque a longo prazo eu espero continuar vivo, com os meus filhos e os meus netos.

Este artigo de opinião integra A Mão Visível - Observações sobre as consequências directas e indirectas das políticas para todos os sectores da sociedade e dos efeitos a médio e longo prazo por oposição às realizadas sobre os efeitos imediatos e dirigidas apenas para certos grupos da sociedade.

maovisivel@gmail.com

Ver comentários
Mais artigos do Autor
Ver mais
Outras Notícias