Raquel Godinho
Raquel Godinho 14 de junho de 2018 às 22:11

Como é que a soja pode ser imune à turbulência? 

O mercado accionista do Brasil tem estado a desvalorizar. Desde o início do ano, cai quase 6%. Contudo, há uma cotada que se destaca pela positiva e tem oferecido retornos positivos aos investidores, conta a agência Bloomberg.

E o que tem esta empresa de especial? As acções da SLC Agricola, que cultiva soja, mas também milho e algodão, já disparam mais de 67%, em 2018. Esta cotada obteve lucros recorde no ano passado e já revelou que antecipa ainda melhores resultados nos próximos anos. O que vai justificar esta melhoria das contas será a estimada subida dos preços, que beneficiam do aumento da procura, e a desvalorização do real brasileiro. Os preços de exportação de soja no Brasil aumentaram 20% no ano passado. E, com perspectivas positivas para a empresa, a sua expansão vai continuar, mesmo num contexto que, pelo contrário, não parece tão favorável para o Brasil: taxas de juro mais elevadas nos Estados Unidos, menores estimativas de crescimento da economia, queda do real e o impacto de possíveis eleições. Mas não será só a soja a ajudar a empresa a contornar um cenário mais cinzento no país: o apetite pelo milho e algodão também deverá continuar a aumentar. Diferentes perspectivas para as mesmas notícias.

 

Jornalista

A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
pub