Raquel Godinho
Raquel Godinho 29 de abril de 2018 às 19:30

Como é que os investidores vêem a paz entre Coreias?

Quando o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, cruzou a fronteira com a Coreia do Sul, os mercados asiáticos reagiram em alta.

Na passada sexta-feira, foi feita história na zona desmilitarizada que separa as duas Coreias. Foi assinado o acordo de paz que coloca formalmente fim à guerra coreana. Os líderes da Coreia do Sul e da Coreia do Norte definiram como  "objectivo comum" garantir a "desnuclearização total" da península. Mas, afinal, o que é que isto significa para os investidores? Quando o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, cruzou a fronteira com a Coreia do Sul, os mercados asiáticos reagiram em alta. Mas, revelam os especialistas ouvidos pela Bloomberg, os investidores encararam a ocasião com um misto de optimismo e de cautela. Isto porque têm dificuldades em perceber como é que a situação se vai desenrolar. "Não podemos mesmo dizer o que vai acontecer a partir daqui", afirmou Ayako Sera. A estratego do Sumitomo Mitsui Trust Bank frisou que "visto que chegámos até aqui, também parece improvável que de repente as coisas fiquem piores e as conversas se desmoronem". Yoshinori Shigemi, estratego global do JPMorgan Asset Management Japan, realçou que, "para escolher um lado, é um extra para as acções mundiais, tendo em conta onde estamos agora". O impacto a longo prazo ainda vai depender das negociações mas, para já, a calma chegou também aos mercados.

 

Jornalista

Marketing Automation certified by E-GOI