João Quadros
João Quadros 16 de fevereiro de 2018 às 10:14

Corpo são em mente assim-assim

O grande problema dos adolescentes com a Educação Física é terem de mudar de roupa. Os nossos jovens estão numa fase em que não se justifica terem de se despir se não for para fazer 'nudes'.
Hoje vamos falar de Educação Física. Calma. Na verdade, vamos falar do regresso da Educação Física como disciplina que conta para a média de acesso ao ensino superior. O projecto de resolução do Bloco de Esquerda, que na passada quarta-feira foi discutido na Comissão de Educação e Ciência, propõe que a disciplina de Educação Física volte a contar para a média de conclusão do ensino secundário e para o acesso ao ensino superior... Quem diria? Logo eles, que têm ar de quem gosta de se estender à sombra e curtir.

A esta hora, alguns estarão a pensar: "Isto não se faz." Como se a vida de um adolescente anafado não fosse já suficientemente complicada.

Fico um bocado dividido com este tema, mas de certa maneira acho bonito que Educação Física passe a contar para a média, só para tramar os marrões. E os estudantes do secundário também estão divididos entre aqueles que fazem "flic-flacs" como quem bebe um copo de água e os que têm de beber um litro de água para correr cem metros. Vai ser um mundo cruel para marrões, porque os que já ficavam com as miúdas mais giras, agora, também ficam com boas médias.

Pelo que percebo, agora há Ginástica, mas não conta para a média. Foi uma decisão que ainda ficou dos tempos do Crato, que - pode ser só coincidência - era gorducho e marrão a Matemática. Crato, no liceu, sabia de cor a transformada de Fourier, mas não conseguia dar uma cambalhota completa sem a ajuda de três professores e um patrão de costa para desatar nós.

A minha opinião? Para quem ainda liga a isso, eu acho que não faz sentido uma disciplina como Educação Física não contar para a média. Para isso, mais valia não haver. Como não conta para nada, os que não gostam de Educação Física vão para lá descansar e pôr a conversa em dia. A partir do momento em que não conta para nada, o professor de Ginástica fica a fazer figura de parvo, ainda por cima vestido de fato de treino. Mais valia existir um rapper a dar aulas.

Imaginem que a Matemática não contava para a média. Quantos alunos é que iriam determinar a equação reduzida da mediatriz de um segmento só porque curtem bué fazer equações reduzidas?! Os alunos só estudam Matemática porque é obrigatório para a média. Se não contasse, nunca mais fariam uma conta, a não ser a quantos dias faltavam para receber a mesada. Na verdade, Educação Física vai-lhes fazer mais falta do que Matemática. Porque, no futuro, se arranjarem emprego, vai-lhes fazer mais falta terem fôlego para ainda conseguirem ir a correr apanhar o autocarro a tempo de chegar a horas ao trabalho do que saber calcular o volume da pirâmide de chocolate que comeram ao pequeno-almoço.

O grande problema dos adolescentes com a Educação Física é terem de mudar de roupa. Os nossos jovens estão numa fase em que não se justifica terem de se despir se não for para fazer "nudes".

Ficamos por aqui. Nunca esquecei: "Mente sã em corpo são" - diziam os antigos que já estão todos mortos e cheios de bicho.

top-5

Espaldar

1. Federação de Ciclismo acusa Marcelo de não tratar as modalidades da mesma forma - mas estavam dopados quando disseram isto.

2. Adega da portuguesa Herdade do Freixo foi considerada o melhor edifício industrial do mundo - só podia ser uma adega.

3. Nora de Trump hospitalizada após exposição a pó branco em envelope - quando levas banhada do dealer.

4. Dia dos Namorados Marco Paulo deu miniconcerto a bordo de voo da TAP - por isso é que convém estar com atenção quando as hospedeiras indicam as saídas de emergência.

5. Coreografias da claque da Coreia do Norte nos Jogos Olímpicos de Inverno tornam-se fenómeno Mundial - "Ai, aquela claque da Coreia do Norte assusta-me." E sobre a do Nacional da Madeira, ninguém diz nada?! 



A sua opinião8
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
Rita 18.02.2018

Não precisa de dar 10 voltas ao laboratório, para exercer a minha função. Não preciso de jogar andebol para fazer relatórios químicos. Eu não preciso de saber fazer o pino para desenvolver processos de transformação físico-químicas. Vou começar por jogar basquetebol no laboratório .

Rita 18.02.2018

Não queiram fazer das médias e notas o "bode expiatório" para levar a cabo uma mudança que nada tem a ver com os alunos, e que em nada os virá a beneficiar. Porque esta guerra é entre professores, profissionais da área e Ministério da Educação. Nota: Sou Engª Química e sempre ODIEI E. Física.

Rita 18.02.2018

Eu não preciso de saber fazer o pino para fazer uma conta de somar. Não preciso de saber fazer uma flexão para escrever uma carta. Não preciso de jogar bem andebol para fazer preencher impressos. Da mesma forma que uma tradutora não precisa de dar grandes saltos em comprimento para traduzir um filme

Rita 18.02.2018

Esta lei já saiu há alguns meses e ainda continuo bastante intrigada. Portugal vai longe assim vai. Até parece que os médicos antes de atenderem um paciente terão de fazer flexões e corridas.Uma imbecilidade completa.De facto, uma palhaçada!

ver mais comentários
pub