André  Veríssimo
André Veríssimo 18 de fevereiro de 2018 às 18:59

E se Ray Dalio tiver razão? 

A forte volatilidade registada nas bolsas no início do mês alimentou receios de que o já longo ciclo de subida das acções estaria prestes a vergar perante o regresso da inflação e taxas de juro mais elevadas.

A maioria dos analistas desvalorizou a importância sistémica do episódio, considerando normal a maior turbulência e reiterando o cenário "bulish". Mas há quem discorde, a ponto de apostar 22 mil milhões de dólares nessa convicção.

 

Aquele é, segundo contas da  Bloomberg, o valor da posição curta nas acções europeias assumida pela Bridgewater, a maior gestora de "hedge funds" do mundo, com 150 mil milhões de dólares sob gestão.

 

Ray Dalio, o bilionário fundador da Bridgewater, deixou esta semana no LinkedIn um "post" em que aponta o caminho: "Não é incomum ter economias fortes e ao mesmo tempo acções e outros activos a perder valor, o que pode deixar as pessoas perplexas."

 

Dalio pode estar enganado e a aposta da Bridgewater, até ao momento essencialmente solitária, revelar-se um fracasso. Mas quando alguém aposta 22 mil milhões de dólares - 15% dos activos - na queda das acções europeias isso é razão que pensar. Por ora, as bolsas europeias vão subindo: a semana passada foi a melhor em mais de um ano.

 

Director

pub