Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Opinião
José Dias - Economista da Golden Broker 05 de Julho de 2004 às 13:59

Feriado em Wall Street vai condicionar liquidez

Na próxima semana, os mercados deverão ser marcados por algum estreitamento em termos de liquidez. Os factores geopolíticos deverão continuar a ter algum impacto apesar da transição de poderes no Iraque ter decorrido dentro da normalidade.

  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

Na próxima semana, os mercados deverão ser marcados por algum estreitamento em termos de liquidez. Os factores geopolíticos deverão continuar a ter algum impacto apesar da transição de poderes no Iraque ter decorrido dentro da normalidade. Com o período de férias do Verão a aproximar-se, não é de antecipar tendências fortes nos mercados accionistas. Estes deverão continuar a ser marcados pelo cenário de consolidação. A incerteza quanto a factores geopolíticos e a divulgação de alguns indicadores económicos deverão gerar alguma volatilidade nos mercados.

Alguns indicadores poderão gerar alguma volatilidade nas principais praças internacionais. Nos Estados Unidos, o feriado de 4 de Julho deverá condicionar a liquidez nos mercados nos primeiros dias da semana. Hoje é feriado e Wall Street estará encerrada. Durante a semana, as atenções voltam-se entretanto para os resultados trimestrais da Yahoo e para a divulgação do índice do sector não transformador do ISM. As expectativas para este indicador são de 64.5 em Junho contra 65.2 no mês anterior (valores acima de 50 representam expansão da actividade económica). A componente do emprego deste indicador também merece destaque. Na última sexta feira, os números dos empregos criados pela economia americana foram abaixo do esperado. Com a economia dependente da evolução do consumo e como esta está dependente da firmeza do mercado de trabalho, dados relativos ao emprego ajudam a determinar a firmeza da retoma da economia e o «timing» de novas subidas de taxas de juro pelo Federal Open Market Committe. Quanto à taxa de câmbio, o euro contra o dólar deverá revelar firmeza.

O BCE manteve as suas taxas directoras na reunião da última semana. Enquanto o Federal Reserve subiu o «fed funds rate» em 25 pontos base. Apesar do diferencial de taxas de juro ter estreitado entre o euro e o dólar, a decisão do Fed estava largamente antecipada pelos mercados. E no comunicado da decisão, o Federal Open Market Committe manteve intacta a política acomodativa e refere que novas subidas de taxas serão graduais. Na zona euro, destaque para os números do Purchasing Managers Index relativo aos serviços. Estes números poderão ajudar a avaliar a validade da retoma na zona euro. Os números do emprego na Alemanha no dia 6 serão também seguidos com atenção. O consumo na principal economia da zona euro tem desapontado nos últimos trimestres. Uma situação que não deverá inverter enquanto não se notarem melhorias no mercado de trabalho. No Japão, o Nikkei deverá continuar a ser determinante na evolução do iene nos mercados. Nas últimas sessões, o iene tem reagido em sintonia com o Nikkei.

Mais artigos do Autor
Ver mais
Mais lidas
Outras Notícias