Raquel Godinho
Raquel Godinho 19 de fevereiro de 2018 às 20:45

Há explicação para o desempenho do dólar?

O dólar atingiu mesmo mínimos de três anos face às principais moedas negociadas e só na semana passada desvalorizou perto de 2%.

Nas últimas semanas, a expectativa de subida da inflação nos EUA tem dominado a negociação nos mercados. Até porque esta perspectiva leva à previsão de uma subida mais rápida dos juros: há já analistas que estimem quatro subidas de juros este ano, em vez das três que se antecipavam antes. Ora, como sublinha o Cinco Días, estes factores deveriam justificar uma subida da moeda americana que, pelo contrário, tem desvalorizado. O dólar atingiu mesmo mínimos de três anos face às principais moedas negociadas e só na semana passada desvalorizou perto de 2%. Os analistas ouvidos pelo jornal espanhol destacam que é "complicado" explicar este comportamento e chegam mesmo a apontar vários factores: os receios de que a subida dos mercados esteja a chegar ao fim; as preocupações com a subida do défice nos EUA pelo aumento da despesa pública; a saída de dinheiro de Wall Street rumo a outros mercados com avaliações mais atractivas. Ramón Morell, analista da ETX Capital, frisa mesmo que há a percepção de "uma erosão da sua vantagem competitiva na rentabilidade das obrigações porque outras economias têm seguido o mesmo caminho de redução dos programas de liquidez". A verdade é que o rumo do dólar tem conseguido surpreender.

 

Jornalista

pub