Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Opinião
Paulo Querido paulo@querido.pt 13 de Janeiro de 2013 às 23:30

Hugo Chávez estacionário, América Latina nem tanto

Tópicos - as palavras que fazem as notícias do mundo

  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

1. Hugo Chávez estacionário, América Latina nem tanto

Fez no sábado um mês que Hugo Chávez foi hospitalizado. Os comunicados dão-no em "situação estacionária", convalescendo da cirurgia de 11 de dezembro. Faltou ao juramento do novo mandato presidencial, que deveria ter acontecido na sexta-feira passada. O mundo não o vê, ouve, ou sequer lê no Twitter desde há mais de um mês. Com epicentro em Havana e o mistério sobre o presidente venezuelano como pretexto, a situação política na América Latina está em ebulição indisfarçável.

 

No fim de semana a presidente da Argentina, Cristina Kirchner, visitou Chávez no hospital, depois de almoçar na residência dos irmãos Castro. Pediu "respeito e solidariedade" para com o presidente convalescente. Nas fotos, Fidel surge sentado. A visita coincidiu com a do vice venezuelano Nicolás Maduro.

 

Nos últimos dias também passou por Havana outro presidente sul-americano, o peruano Ollanta Humala, cumprindo o mesmo circuito. Algo está para acontecer.

 

 

 

2. Aaron Swartz

A morte de um dos jovens-prodígio americanos da Internet, aos 26 anos, impressionou o mundo. Tudo indica tratar-se de um suicídio. Aaron Swartz fundou o Reddit e foi co-autor dos feeds RSS. Ativista da informação livre, fundou também o Demand Progress, um grupo contra a censura na Internet. Ia a tribunal em breve, incorrendo numa pena de três décadas de prisão por ter publicado artigos académicos "fechados" numa base de dados que não estava protegida.

 

 

 

3. Wells Fargo

Os resultados trimestrais do primeiro banco americano a apresentá-los eram aguardados com expetativa: responderiam às interrogações sobre a continuidade, ou não, da recuperação da banca em geral e do crédito imobiliário em particular. O Wells Fargo superou as estimativas, mas as vendas desaceleram e a margem de lucro contrai-se. Ou seja: o "semáforo" deu amarelo intermitente. Curiosidade: o susto com o "fiscal cliff" levou a um aumento dos empréstimos comerciais.

 

 

 

"Tópicos" é uma ferramenta do Negócios que faz pesquisa inteligente das notícias de economia mundiais. Consulte e saiba mais em www.negocios.pt

Ver comentários
Mais artigos do Autor
Ver mais
Outras Notícias