Ulisses Pereira
Ulisses Pereira 16 de abril de 2018 às 11:02

Misha e Bill num jogo de padel

Ursos e touros são símbolos importantes do mundo da bolsa. Os ursos acreditam que o mercado vai cair, enquanto os touros confiam em futuras subidas. Resolvi, por isso, criar duas personagens fictícias e dar-lhes voz, esgrimindo argumentos. Hoje, o urso Misha e o touro Bill regressam ao nosso convívio.
Comente aqui o artigo de Ulisses Pereira

Estava preparado para ir fazer o meu habitual jogo diário no Aveiro Padel Galitos quando, num dos campos, começo a ouvir umas vozes familiares. À medida que me aproximo, as minhas piores suspeitas confirmam-se: o urso Misha e o touro Bill estão mesmo a disputar um jogo de padel. Fico com pena da dupla que os está a defrontar pois tenho a certeza de que aquele jogo não chegará ao fim.

Tento passar sorrateiramente na direcção do meu campo, mas o Bill apercebe-se da minha presença, levanta a raquete a saudar-me e não resiste a falar comigo, mesmo que os adversários não estejam com cara de quem esteja a gostar da interrupção do jogo para uma conversa.

Touro Bill: Ulisses! Por aqui? Então não eras um homem do andebol? O padel está na moda, então decidiste vir experimentar, aposto.

Ulisses: Olá, Bill, tudo errado. Continuo a ser um homem do andebol, quer como seleccionador nacional quer como espectador assíduo, é a minha paixão. Mas adoro jogar padel e não estou a experimentar, já jogo diariamente há quase três anos. Pelo que vi, tu é que ainda estás a iniciar…

Urso Misha: Olá, Ulisses! Daqui a umas semanas já estamos no topo. Aproveitei o dinheiro que tenho feito com as quedas dos mercados nas últimas semanas para vir divertir-me um pouco e estou a adorar! Ainda me deixa mais bem-disposto, depois de ver os mercados a corrigirem e, finalmente, o "bear market" já começou!

Bill: Não sejas ridículo, Misha! Os principais índices mundiais estão apenas a 7 ou 8% dos máximos dos últimos anos e, alguns deles, mais do que triplicaram de valor nos últimos anos. E tu, depois de subidas de 200%, declaras o fim do "bull market" porque caíram um bocadinho. De facto, as tuas lentes além de distorcidas são muito pequeninas, és incapaz de olhar para a "big picture" e ver que isto foi uma pequenina correcção no meio de subidas monstruosas que te fizeram chorar baba e ranho nos últimos anos.

Misha: Tu sabes que desta vez é diferente. Sabes que as consequências desta guerra comercial entre os Estados Unidos e a China serão terríveis. E nem reparaste que um perigoso conflito bélico está prestes a iniciar-se com a Síria no meio de fogo cruzado entre os Estados Unidos e Rússia? Isto é o "cocktail" perfeito para a inversão e o afundar definitivo dos mercados.

Bill: Cada vez que conversamos, tu apresentas sempre uma série de problemas que vão provocar o pânico nos mercados. Há anos que reciclas argumentos. Ainda não percebeste que o mundo atravessa sempre problemas graves? Que há sempre riscos novos que aparecem, mas que o que verdadeiramente importa é a forma como o mercado reage a essas notícias? Eu acho que tu até sabes, simplesmente o teu desespero de ver a bolsa portuguesa a apenas cerca de 5% do máximo dos últimos anos leva-te a teres de te agarrar a algo.

Misha: A bolsa portuguesa vai afundar-se. Não vai resistir à queda dos outros mercados internacionais porque já levam muitos anos de "bull market" e a sua queda vai arrastar a bolsa portuguesa.

Bill: O mesmo discurso de sempre. Há quanto tempo prevês o fim do "bull market" das principais bolsas mundiais? Eu sei que te agarras a esse argumento para defender a tua causa na bolsa portuguesa porque não tens outro. E qual tem sido a correlação da bolsa portuguesa com as outras nos últimos anos? Nenhuma! Além disso, a economia portuguesa cresce, o desemprego desce, os níveis de confiança dos consumidores estão no nível mais alto de sempre. É difícil encontrar motivos para quedas, mas tu encontra-los sempre!

Misha: Difícil encontrar motivos? E a resistência dos 5.500 pontos do PSI que o Ulisses tem falado e que o PSI não consegue superar? Esse é um tecto para a nossa bolsa.

Bill: Ai agora também já és analista técnico? E porque é que só referes parte da opinião do Ulisses? Podias referir que, apesar dessa resistência, continua no lado do clã dos touros pois não viu qualquer sinal de que o "bull market" tenha chegado ao fim. E o preço das casas? Lembras-te de que andaste anos a dizer que o declínio do imobiliário era fatal para o país e o maior sinal da crise? Agora tens o oposto com o preço do imobiliário a atingir o seu máximo histórico e a mostrar a pujança da nossa economia.

Misha: Ah ah ah, deixa-me rir, como dizia o poeta Jorge Palma. O preço das casas é o maior sinal de que estamos a viver mais uma bolha que está prestes a implodir e arrastará tudo o resto para baixo. Tu vives numa bolha e isso leva-te para bem longe da realidade. Não queres levar o Trump contigo nessa bolha e voarem para bem longe? Seríamos tão mais felizes cá em baixo…

Bill perde a cabeça e dá com a raquete na cabeça de Misha que responde na mesma moeda, enquanto os seus adversários continuam do outro lado de braços cruzados, já sem esperança de que o jogo retome. Mas, em todos os outros campos, os jogos pararam e já tudo está à volta a ver o triste espectáculo do costume. Os "smashes", bandejas e "volleys" foram substituídos por raquetadas, cacetadas, no triste, mas habitual cenário entre estes dois. Recuso-me a assistir a um filme que já vi vezes demais e lá vou eu para o meu campo fazer uma das coisas que mais gozo me dá.


Nem Ulisses Pereira, nem os seus clientes, nem a DIF Brokers detêm posição sobre os activos analisados. Deve ser consultado o disclaimer integral aqui


Analista Dif Brokers
ulisses.pereira@difbroker.com



Saber mais e Alertas
pub