Patrícia  Abreu
Patrícia Abreu 06 de junho de 2018 às 21:47

O braço-de-ferro entre o Norges Bank e Elon Musk 

Ainda que não tenha conseguido levar as suas propostas avante, o Norges Bank deixou bem claro que não está satisfeito com a gestão da Tesla.

A assembleia-geral de accionistas da Tesla era aguardada com grande expectativa, uma vez que existia a possibilidade de serem votadas alterações consideráveis no conselho de administração. Em cima da mesa estava uma proposta para separar os cargos de "chairman" e CEO, ambos ocupados por Elon Musk, mas os accionistas acabaram por rejeitar esta alteração. Um dia depois da votação, que aconteceu esta terça-feira, o fundo soberano da Noruega assumiu publicamente que foi um dos accionistas que votaram a favor da separação de cargos, que deveria resultar no afastamento de Musk da liderança da empresa. O Norges Bank acredita que separar estas duas funções permitiria melhorar o governo da sociedade, segundo uma notícia avançada pelo Business Insider. Mas esta não era a única mudança que o fundo soberano norueguês queria forçar na Tesla. O Norges Bank votou ainda contra a reeleição do membro da administração Antonia Gracias, ainda que tenha apoiado a reeleição de James Murdoch e Kimbal Musk. Ainda que não tenha conseguido levar as suas propostas avante, o Norges Bank deixou bem claro que não está satisfeito com a gestão da Tesla. Neste primeiro embate, Elon Musk saiu vencedor do "braço-de-ferro". Mas até quando?

 

Jornalista

Marketing Automation certified by E-GOI