Patrícia  Abreu
Patrícia Abreu 09 de dezembro de 2018 às 16:00

O que tem a Huawei que ver com o HSBC?

A detenção da responsável financeira da Huawei, na semana passada, no Canadá, a mando dos EUA assustou os investidores e afundou as bolsas mundiais.

Mas, a fabricante de smartphones chinesa poderá não ser a única empresa na mira das autoridades norte-americanas. De acordo com a CNBC, que cita o Wall Street Journal, o britânico HSBC poderá ser o próximo a ser associado no caso legal da Huawei. De acordo com o jornal norte-americano, um monitor apontado pelo governo dos EUA para supervisionar o controlo antilavagem de dinheiro do banco detectou transacções ilícitas realizadas pelo Huawei na instituição. Terão sido essas operações que levaram à detenção de Meng Wanzhou, alegadamente por violar as sanções que proibiam a Huawei de vender equipamentos ao Irão. Segundo uma fonte não identificada citada pela CNBC, o HSBC não está a ser investigado no âmbito do caso da prisão da CFO da companhia chinesa. Contudo, o facto de o HSBC ter uma forte presença na China, apesar da sua sede ser no Reino Unido, pode levar as autoridades dos EUA a voltar-se para a entidade. Tudo vai depender de Donald Trump e da vontade de o Presidente dos EUA de manter as tréguas com a China ou criar pontos de conflito com o país.

 

Jornalista

pub

Marketing Automation certified by E-GOI