Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Opinião
Ulisses Pereira ulissespereira@hotmail.com 22 de Dezembro de 2008 às 13:00

O erro

Os erros irão acontecer sempre. São inevitáveis. Mas, se os assumirmos a tempo, limitamos os seus efeitos, ficamos rapidamente em condições de levantar a cabeça e prosseguir em frente. Se fecharmos os olhos aos erros, as perdas podem agravar-se, o erro arrastar-se e os efeitos psicológicos serem arrasadores.

  • Assine já 1€/1 mês
  • 29
  • ...
“Errar é humano”

A esmagadora maioria dos investidores acredita que um dos factores essenciais para se ter sucesso nos mercados é cometer poucos erros. É evidente que um reduzido número de falhas ajuda a melhorar os resultados, mas o factor decisivo é a capacidade de reconhecer e assumir os próprios erros.

Errar no “trading” é inevitável e ter noção disto é essencial para saber lidar com os erros, reconhecê-los e assumi-los na altura certa. O facto de, por vezes, o investidor não tomar as melhores decisões na negociação nos mercados, levando-o a tomar más decisões, nem sempre é controlável pela própria pessoa, mas o reconhecimento e o assumir do erro dependem única e exclusivamente do próprio investidor.

Os erros irão acontecer sempre. São inevitáveis. Mas, se os assumirmos a tempo, limitamos os seus efeitos, ficamos rapidamente em condições de levantar a cabeça e prosseguir em frente. Se fecharmos os olhos aos erros, as perdas podem agravar-se, o erro arrastar-se e os efeitos psicológicos serem arrasadores.

Uma das características da maior parte dos investidores que os impede de ganhar dinheiro em Bolsa é, na minha opinião, na maioria das ocasiões estarem mais preocupados em ter razão do que em ganhar dinheiro. Preferem lutar por aquilo que defenderam a nível teórico - mesmo quando já é claro que não têm razão - do que abstrair-se desses argumentos e tentar lutar por fazer dinheiro nos mercados.

Por certo estará a ler este artigo e a pensar em algumas ocasiões em que não teve a coragem de assumir rapidamente o erro, incorrendo em perdas grandes. Não pense que é uma excepção. Assumir os erros é um dos actos mais difíceis para o ser humano porque mexe com as nossas convicções e com o nosso ego. Reconhecer que falhámos não é fácil e não está ao alcance de todos. Mas, perdoem-me a sinceridade, quem não o conseguir fazer jamais terá sucesso nos mercados financeiros.

Em vez de reconhecerem o erro e assumi-lo, o que é que a generalidade dos investidores costuma fazer? Responsabilizar outros pelo facto do mercado não estar a seguir o rumo por eles antecipado. Começam por dizer que os investidores estão enganados. Continuando o mercado no rumo oposto ao previsto por eles, afirmam que o mercado está a ser manipulado por grandes especuladores que querem enganar os pequenos investidores. E, a partir daqui, começam a disparar em todas as direcções, acusando tudo e todos: A culpa passa a ser dos analistas, jornalistas, das corretoras e até da CMVM!

Todos servem de bodes expiatórios para justificar os nossos próprios erros. Por vezes, os mercados assemelham-se aos jogos de futebol em que os jogadores da equipa derrotada, descarregam nos árbitros as frustrações das suas falhas.

Enquanto continuarmos a fechar os olhos aos nossos erros e preferirmos justificá-los com terceiros, ainda teremos um longo caminho pela frente na construção de uma personalidade ganhadora nos mercados financeiros.

Nós não podemos controlar o mercado, mas podemos controlar a nossa forma de negociar. E assumir rapidamente que errámos é um dos aspectos essenciais do “trading”. Quem conseguir interiorizar isto tem já uma boa parte percorrida do processo de formação como investidor de sucesso.

Acho que é tempo de percebermos que a culpa não é dos outros, nem muito menos dos mercados. É tempo de olharmos para dentro de nós e vermos onde é que erramos e porque é que falhámos. E termos coragem de assumirmos o nosso carácter humano e dizer “Eu errei.”.

Comente aqui este artigo
Ver comentários
Mais artigos do Autor
Ver mais
Outras Notícias