Raquel Godinho
Raquel Godinho 17 de maio de 2018 às 21:50

Os investimentos podem ter religião?

Os investidores espanhóis vão poder agora investir num fundo cuja gestão é regida pelos valores católicos.

O produto, lançado pela azValor Asset Management, fomenta através do investimento a defesa da família, da vida e da dignidade humana, conta o "Cinco Días".


Com a designação Altum Faith-consistent Equity Fund, este fundo não poderá, assim, investir em empresas que fabricam preservativos ou pílulas contraceptivas, bem como em empresas que actuam na área da investigação de células estaminais ou companhias que defendam e pratiquem a eutanásia. E cotadas que actuem na fabricação de armas também estarão fora do radar deste fundo de investimento.


A gestora de activos terá uma entidade responsável por garantir que os critérios éticos que regem a carteira são cumpridos, a Altum Faithful Investing.


"Com a criação deste fundo queremos que o investidor tenha à sua disposição um produto que combine o melhor dos dois mundos: por um lado, uma gestão de activos de primeira linha e, por outro, a certeza de que todas as empresas em que investe respeitam os princípios da Igreja", disse Borja Barragán, fundador da Altum Faithful Investing. Serão estes critérios suficientes para gerar ganhos?

A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
mais votado Religião como fator de… segmentação comercial ?! Há 1 semana

Que se sigam princípios de Ética,
que em geral são comuns a todas as Religiões,
e que refletem denominadores comuns de aspirações humanas,
e tendências de evolução da Civilização,
estou plenamente de acordo e até sou empenhado apologista.

Agora, que se utilizem critérios de atração/segmentação de clientes
baseados numa Religião específica,
é ideia que poderá ser muito sedutora sob um ponto de vista comercial,
mas a que (até em nome do respeito que as crenças religiosas devem merecer)
sou de opinião não se deveria recorrer, por questão de Princípio.

Por associação de ideias, não posso deixar de recordar as palavras
do para mim maior e mais respeitado Homem de Esquerda de todos os tempos
(de seu nome Jesus de Nazaré),
ao expulsar do Templo os vendilhões:

“Não façais da casa de meu Pai uma casa de comércio!’

comentários mais recentes
Religião como fator de… segmentação comercial ?! Há 1 semana

Que se sigam princípios de Ética,
que em geral são comuns a todas as Religiões,
e que refletem denominadores comuns de aspirações humanas,
e tendências de evolução da Civilização,
estou plenamente de acordo e até sou empenhado apologista.

Agora, que se utilizem critérios de atração/segmentação de clientes
baseados numa Religião específica,
é ideia que poderá ser muito sedutora sob um ponto de vista comercial,
mas a que (até em nome do respeito que as crenças religiosas devem merecer)
sou de opinião não se deveria recorrer, por questão de Princípio.

Por associação de ideias, não posso deixar de recordar as palavras
do para mim maior e mais respeitado Homem de Esquerda de todos os tempos
(de seu nome Jesus de Nazaré),
ao expulsar do Templo os vendilhões:

“Não façais da casa de meu Pai uma casa de comércio!’

pub