Patrícia  Abreu
Patrícia Abreu 03 de julho de 2019 às 19:55

Paramés, uma estrela em queda na gestão de ativos?

Os fundos da Cobas Asset Management não têm conseguido alcançar os desempenhos que seriam esperados do gestor mais aclamado no mercado espanhol.

É conhecido como o Warren Buffett espanhol, mas a vida não tem corrido bem a Francisco García Paramés. Depois da saída surpreendente da Bestinver, em 2014, o gestor estrela criou a sua própria gestora de ativos. Contudo, os fundos da Cobas Asset Management não têm conseguido alcançar os desempenhos que seriam esperados do gestor mais aclamado no mercado espanhol. O seu fundo estrela, o Cobas Selección, com 735 milhões de euros sob gestão, desvaloriza 19,79% desde que foi lançado, segundo números citados pelo Cinco Días. Este comportamento contraria os ganhos registados pelo mercado - o índice MSCI Europe Total Return valoriza cerca de 23% desde o início de 2017 - e as subidas conseguidas por outros fundos da mesma categoria. Mas não é apenas este fundo que sai mal na fotografia. O fundo Cobas Internacional e o Cobas Ibéria, que aposta em ações espanholas e portuguesas, também surgem com uma evolução negativa desde que foram lançados. Investimentos em empresas como Aryzta e Renault revelaram-se apostas falhadas e terão custado parte destas perdas. Apesar dos maus resultados, os investidores mantêm a confiança no gestor. Até quando, vai depender da dimensão das perdas.

 

Jornalista

Marketing Automation certified by E-GOI