Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Opinião
Raul Vaz 20 de Dezembro de 2007 às 13:59

Por onde vai o futuro do BCP

O adiamento sine die do acordo de parceria da Sonangol com o BCP só poderá surpreender Filipe Pinhal e os seus apoiantes – com quem existia um acordo de princípio para o desenvolvimento de operações em Angola. Manuel Vicente, presidente da petrolífera ang

  • Assine já 1€/1 mês
  • ...
Para se perceber o que está em jogo, é preciso recuar a um dos últimos actos de gestão de Paulo Teixeira Pinto – o então presidente do banco deslocou-se a Luanda e foi recebido por Eduardo dos Santos. Para quê? Para tratar do futuro do BCP – pormenor que Jorge Jardim Gonçalves entendeu como sinónimo de perigo para a correlação de forças no interior da instituição. São conhecidos os factos sequentes, sendo que tanto Teixeira Pinto como Jardim Gonçalves já fazem parte do passado. Ao contrário de Manuel Vicente (entenda-se Sonangol, leia-se José Eduardo dos Santos), que permanece na primeira linha de decisão sobre o futuro do BCP. Há, obviamente, uma outra ilação a extrair do recuo da Sonangol: Filipe Pinhal também já faz parte do passado, facto que só o próprio teima em não perceber. Ou melhor: ainda procura copiar o chefe.
Mais artigos do Autor
Ver mais
Mais lidas
Outras Notícias