Álvaro Nascimento
Álvaro Nascimento 12 de março de 2018 às 20:05

Quando a nova economia procura a velha finança…

A admissão à cotação a um qualquer mercado de bolsa traz atrás de si um conjunto de condicionantes, como a necessidade de apresentar um historial de lucros ou evidenciar capacidade para gerar rendimentos.

A FRASE...

 

"Farfetch contrata JP Morgan e Goldman Sachs para prepararem entrada na bolsa."

 

Victor Ferreira, Público, 10 de Março de 2018

 

A ANÁLISE...

 

É fascinante observar como as empresas da nova economia têm urgência em obter a aprovação da velha finança, como se a medida do seu sucesso estivesse dependente de um conjunto de regras que, podendo permitir o acesso a um mercado financeiro amplo, introduzem restrições e rigidez na gestão, numa fase em que os modelos de negócio estão longe de se encontrar plenamente estabilizados e exigem rapidez na reacção e capacidade na resposta.

 

Quando surgiu nos anos 70, a que se sucedeu o rápido crescimento dos anos 80 e 90, o NASDAQ configurava-se como o mercado para as empresas inovadoras, sem história ou tradição, para as quais a velha bolsa de Nova Iorque (NYSE) não oferecia soluções de financiamento. Tudo por causa das apertadas regras de admissão à negociação e dos modelos de governo societário. O NASDAQ, fruto de uma estrutura mais flexível e do menor espartilho imposto às empresas cotadas, suportou então o aparecimento das empresas da era moderna e floresceu.

 

O mundo financeiro ultrapassou há muito esta dicotomia dos mercados de capitais, aqui representada de forma estilizada pelo NASDAQ e NYSE, que coloca de um lado os mercados organizados - que impõem às empresas obrigações de transparência - e os mercados de balcão - em que a opacidade é permissível, por se considerar essencial a quem necessita de flexibilidade para ajustar os modelos de negócio à incerteza por que se pautam os processos de inovação. NASDAQ e NYSE evoluíram e, hoje, é mais o que os une que o que os separa.

 

A admissão à cotação a um qualquer mercado de bolsa traz atrás de si um conjunto de condicionantes, como a necessidade de apresentar um historial de lucros ou evidenciar capacidade para gerar rendimentos. Circunstâncias que podem ser excepcionadas, é certo, se os candidatos apresentarem situações patrimoniais robustas, a par com modelos de governo que restringem graus de liberdade à gestão. A novidade antes oferecida pelo NASDAQ é hoje assegurada por novos canais, como o "private equity", em que a cumplicidade entre accionistas e gestores aporta a barreira de opacidade e o tempo necessários para que as empresas se concentrem em acertar o modelo de negócio. Porquê a urgência em sair antes do tempo?

 

Este artigo de opinião integra A Mão Visível - Observações sobre as consequências directas e indirectas das políticas para todos os sectores da sociedade e dos efeitos a médio e longo prazo por oposição às realizadas sobre os efeitos imediatos e dirigidas apenas para certos grupos da sociedade.

maovisivel@gmail.com

pub