Pedro Dionísio
Pedro Dionísio 12 de maio de 2009 às 13:00

"Blended marketing"

Em tempos de retracção de mercados, as empresas precisam de encontrar novas formas para desenvolver os seus negócios...
Em tempos de retracção de mercados, as empresas precisam de encontrar novas formas para desenvolver os seus negócios, idealmente com a captação simultânea de maiores volumes de negócio acrescidos de redução de custos. Como é natural, esta combinação é duplamente interessante e difícil de atingir.

O "blended marketing" surge, neste contexto, como um valioso contributo para prossecução de tal desiderato organizacional.

O termo "blended marketing" não faz (ainda!) parte do jargão dos gestores, embora seja expectável que dentro de algumas semanas os benefícios desta abordagem possam tornar-se mais conhecidos dos gestores portugueses.

Uma abordagem de "marketing blended" corresponde à integração e à fusão - tanto quanto possível, harmoniosa - entre o marketing "tradicional" e o digital, com o objectivo de uma mais eficaz fidelização dos actuais públicos e uma melhor captação de novos "targets".

Actualmente é já incontornável uma clara tendência para os utilizadores do ciberespaço criarem e disseminarem na rede conteúdos diversos, em plataformas digitais de que são notórios exemplos as redes sociais ou sites como o YouTube, corporizando, de resto, as profecias de há uma década, em que já se falava do potencial poder de comunicação dos consumidores, sem que, contudo, se dispusesse de novas ferramentas tecnológicas para além do correio electrónico.

É, pois, num contexto de inegável evolução tecnológica que as empresas precisam de aproveitar o enorme potencial de ubiquidade e de mobilidade da comunicação, por forma a poderem marcar presença onde efectivamente estão os seus públicos-alvo. Este caminho é, no entanto, completamente novo para a esmagadora maioria das organizações, inclusivamente para a maioria das empresas multinacionais.

Quando bem concebido e implementado de forma integrada, o "blended marketing" permitirá atingir novos clientes e fidelizar mais eficazmente os actuais, tanto numa óptica B2C como B2B, com retornos mais interessantes e investimentos mais reduzidos.

Para as empresas portuguesas que procuram novos mercados internacionais, esta abordagem apresenta um interesse acrescido, já que facilita o desenvolvimento da internacionalização nesses mercados.

Contribuindo para o delinear destes novos rumos da gestão, e a propósito do lançamento do novo livro "b-Mercator - Blended Marketing", terão lugar duas grandes conferências sobre os benefícios deste tema, respectivamente no dia 2 de Junho, em Lisboa, e no dia 16, no Porto.
Novos e desafiantes caminhos se revelam para as organizações que não querem perder a oportunidade de acompanhar a evolução no comportamento dos seus públicos. Podemos tentar fingir que eles não existem, "mas que os há, há…".



Professor de Marketing da ISCTE Business School
pedro.dionisio@iscte.pt
Coluna à terça-feira

Marketing Automation certified by E-GOI