José M. Brandão de Brito
José M. Brandão de Brito 12 de março de 2018 às 20:31

Sem ordem nem simetria 

Tanto estímulo orçamental em cima de um ciclo expansionista já longo constitui um risco inflacionista que a Reserva Federal não pode ignorar.

A FRASE...

 

"As principais formas de beleza são a ordem e a simetria."

 

Aristóteles

 

A ANÁLISE...

 

A notícia de que está na calha um "rendez-vous" acareador entre os Presidentes americano e norte-coreano faz de Trump um estratega temerário ou um sortudo… ou ambos. Quando, em meados do ano passado, tudo parecia conspirar contra a sua presidência, Trump respondeu às ameaças de Kim Jong-Un com uma agressividade inaudita nas administrações anteriores, o que lhe valeu acusações internas e externas de irresponsabilidade, mas que em contrapartida galvanizou a sua base de apoio. De tal modo que Trump conseguiu torcer o braço da oposição interna do seu partido e obrigar a maioria republicana do Congresso a ladear com a Casa Branca na aprovação da reforma fiscal e de outras medidas de estímulo orçamental. Independentemente do mérito da política económica da administração Trump, não há dúvida de que o caminho trilhado está a gerar enormes dividendos políticos a um Presidente que, dado como acabado há seis meses, surge agora como favorito para as eleições legislativas do próximo outono. A confiança de Trump é de tal ordem que lhe permite revisitar o dossiê da Coreia do Norte com uma abordagem que, sendo diametralmente oposta à original, não deverá ser menos lucrativa em termos de popularidade. O auto-intitulado "deal-maker" continua a confundir os seus críticos.

 

Mas uma coisa é a política; outra completamente diferente é a economia. Tanto estímulo orçamental em cima de um ciclo expansionista já longo constitui um risco inflacionista que a Reserva Federal não pode ignorar. O problema é que qualquer aceleração do processo de normalização das taxas de juro poderá ter efeitos explosivos nos mercados financeiros dos EUA. Isto porque a política monetária se tornou extremamente assimétrica, no sentido em que medidas de acomodação monetária geram um estímulo económico limitado, mas medidas de magnitude semelhante de teor restritivo podem desencadear uma reação negativa desordenada. Tudo devido ao elevado endividamento da economia americana.  

 

Artigo em conformidade com o novo Acordo Ortográfico

 

Este artigo de opinião integra A Mão Visível - Observações sobre as consequências directas e indirectas das políticas para todos os sectores da sociedade e dos efeitos a médio e longo prazo por oposição às realizadas sobre os efeitos imediatos e dirigidas apenas para certos grupos da sociedade.

maovisivel@gmail.com

pub