Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Opinião

Subprime chega ao futebol

Tom Hicks e David Gillet, os americanos que compraram o Liverpool, precisam urgentemente de 520 milhões de euros para refinanciar a dívida que contraíram para comprar o clube. Os bancos que lhes emprestaram dinheiro há um ano exigem agora mais garantias e

  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

Se os dois milionários não encontrarem alternativa, o Dubai International Capital (DIC), fundo que perdera a compra do clube para os americanos, oferece 750 milhões de euros. Cash?

Em Portugal as coisas não estão melhor. O Sporting, com um passivo de 238 milhões de euros (já foi de 281 milhões em 2005?) vai pagar este ano mais 7 milhões de euros, em juros, do que no ano anterior. Quando o passivo era superior? Do Benfica e Porto não se conhecem números.

É neste cenário que os clubes têm de viver. Porque para além do agravamento dos juros, os investidores divorciaram-se dos clubes (v.g., em Portugal, as cotações de Porto, Sporting e Benfica em Bolsa). Solução? Ou geram meios para financiar o negócio, ou deixam que “sovereign wealth funds” (como o DIC) ou investidores individuais comprem as SAD. Por cá só Filipe Soares Franco, do Sporting, e Joaquim Teixeira, do Boavista, admitiram vender mais de 50% das SAD. Os outros, mais tarde ou mais cedo, vão lá chegar. Porque nesta conjuntura só quem tem bolsos fundos consegue financiar um negócio que é o expoente máximo da aleatoriedade.

Ver comentários
Outras Notícias