Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Opinião

Tiro no porta-aviões

Na sessão desta última terça-feira, o S&P 500, o maior índice do mundo, estabeleceu um mínimo relativo de médio prazo e realizou o fecho mais baixo desde o início do mês de Novembro.

  • Partilhar artigo
  • ...
Na sessão desta última terça-feira, o S&P 500, o maior índice do mundo, estabeleceu um mínimo relativo de médio prazo e realizou o fecho mais baixo desde o início do mês de Novembro.

A ameaça de mergulharmos numa tendência de baixa duradoura, mais do que presente, tem vindo em crescendo onde apenas o suporte dos 1.050 pontos está por bater de forma clara. Esta luta com a referência agora bem evidente poderá ser vista como o contraponto à que ocorreu nos 950 pontos durante o movimento ascendente, uma batalha que veio a demarcar o domínio "bull" por mais nove meses.

Do lado de cá do Atlântico, no imediato e à excepção do FTSE, os índices encontram-se ligeiramente melhor posicionados, com o DAX mesmo no extremo oposto a realizar um toque nos máximos há pouco mais de uma semana atrás. Mas são diferenças de pormenor que o tempo provavelmente se encarregará de esbater, caso aquela referência mundial dos mercados financeiros quebre definitivamente o suporte técnico.

Ao PSI-20 vai valendo também para já a novela em torno da PT, com efeitos positivos no índice, não se tratasse de um peso-pesado com um impacto directo significativo e mais animado que está com algo mais em que pensar que não a crise económica e orçamental. Mas se a batalha pela Vivo puxou um peso-pesado para perto dos 9,00 euros, outro - a EDP - vai testando os seus mínimos relembrando que o momento não está para euforias.



EDP testa mínimos de um ano
Evolução das acções da eléctrica

Enquanto a batalha pela Vivo vai puxando a PT para máximos, a EDP vem testando os mínimos do último ano recordando que o momento não é de euforias.




PSI-20 acompanha pares da Europa
Evolução do desempenho do índice nacional

Algo animado com a "novela" em torno da Portugal Telecom, o PSI 20 segue agora mais em linha com os seus pares europeus.




Pressão sobre o S&P 500
Evolução do índice de refeRência dos EUA

A pressão sobre o suporte aumenta com a realização de um novo mínimo relativo de médio prazo no S&P 500 e o seu fecho mais baixo desde Novembro passado.



Nota: as análises apresentadas constituem opiniões do autor, não devendo ser entendidas como recomendações de compra e venda ou aconselhamento financeiro.







Ver comentários
Mais artigos do Autor
Ver mais
Outras Notícias