Patrícia  Abreu
Patrícia Abreu 04 de março de 2018 às 18:09

Trump e Powell não assustam gestores 

A última semana foi de perdas nas bolsas mundiais. Os receios em torno da política monetária norte-americana e o anúncio da implementação de tarifas sobre as importações de aço e alumínio por parte dos EUA alimentou o pessimismo dos investidores.

Mas, o ambiente negativo foi aproveitado pelos fundos para reforçar a aposta em acções norte-americanas. Segundo a EPFR Global, os fundos e ETF aplicaram 8,6 mil milhões de dólares em acções dos EUA, na última semana de Fevereiro. Este reforço surge depois de três semanas consecutivas de resgates, que totalizaram saídas de 43 mil milhões de dólares. No entanto, esta aposta ainda não está a render ganhos, uma vez que as primeiras duas sessões de Março foram negativas para as praças norte-americanas. Sendo certo que 2018 promete maiores oscilações, depois de um ano praticamente sem volatilidade, os gestores de activos deverão procurar beneficiar com as correcções no mercado. A questão é perceber quando é que o mercado já bateu no fundo. E isso é praticamente impossível prever. Por isso, para quem está confiante que o mercado vai recuperar, o melhor é aproveitar os momentos de queda para investir. E é isso que os gestores de fundos estão a fazer.

 

Jornalista

pub