João Quadros
João Quadros 23 de outubro de 2015 às 10:15

Um governo liberal de libelinhas

São 22:53 de quarta-feira, 21 de Outubro, estamos todos à espera de Cavaco. Pelo menos, eu estive, até há uns minutos, mas decidi avançar e arriscar fazer a crónica, imaginando que a decisão do nosso PR vai ser um ajuste directo ao Governo do PàF.

São 22:53 de quarta-feira, 21 de Outubro, estamos todos à espera de Cavaco. Pelo menos, eu estive, até há uns minutos, mas decidi avançar e arriscar fazer a crónica, imaginando que a decisão do nosso PR vai ser um ajuste directo ao Governo do PàF.

Quando escrevo - decidi avançar e arriscar - há um claro exagero da minha parte. Já são muitos anos a ver Aníbal trabalhar e confesso que seria uma enorme surpresa - e comeria o meu chapéu (uso uma pirâmide de gambas na cabeça) - se a decisão do nosso PR fosse outra.

É verdade que Cavaco Silva anunciou à nação, antes das eleições, que era "extremamente desejável que o próximo Governo disponha de apoio maioritário e consistente na Assembleia da República". Aliás, Cavaco Silva parece ser vítima do velho conto "cuidado com o que desejas porque pode acontecer". Provavelmente, o nosso Presidente rezou muito, muito e prometeu ir a Fátima se houvesse uma maioria mas esqueceu-se de excluir os comunistas; pensou que seria óbvio para a Aparecida. Mas não serão as promessas de Cavaco a impedir Aníbal de fazer o que lhe apetece. Recordo que Cavaco Silva prometeu ser Presidente de todos os portugueses e, dez anos depois, ainda assume que deixa um milhão de fora.

As palavras de Cavaco foram claras, "é extremamente desejável ter uma maioria", mas não sendo a maioria que desejava, pode ficar apenas pelo razoavelmente agradável ter esta minoria. Ninguém pode, honestamente, acreditar que o velho Aníbal Cavaco acha extremamente agradável ter uma maioria de esquerda. Recordo que o nosso PR já era contra os comunas antes de 74.

Posto isto, vamos então assumir que o XX Governo Constitucional vai ser entregue à PàF. Perdoem-me o trocadilho, mas será o XXis mais rápido do mundo. Não chega a ser XXis, é um mijinha. A esperança de vida do XX Governo Constitucional só é comparável à das efémeras. As efémeras são uma espécie particular de libelinhas que têm um ciclo de vida que vai dos 30 minutos até às 24 horas, muito raramente chegando aos dois dias de vida. As semelhanças com o Governo do PàF chegam a ser arrepiantes porque a boca da efémera é vestigial (como a do nosso PM) e o sistema digestivo é preenchido com ar.

No fundo, este Governo do PàF vai ser daquelas experiências que a Vida é Bela vendia: venha viver as emoções de ser ministro ou secretário de Estado durante uma semana. Para ser ministro do Governo do PàF, não é preciso pedir licença sem vencimento no actual local de trabalho, basta meter 15 dias de baixa.

Um XX Governo Constitucional do PàF é um conto para entreter crianças. Na realidade, só conta para a estatística, não é para levar a sério, até dá para pôr um cavalo no lugar do Crato, e a educação fica a ganhar. São quinze dias de regabofe assumido dos ex-além-da-troika. Vai servir para tirar fotocópias e roubar esferográficas e rolos de papel higiénico.

Se eu fosse o Passos, como vingança do Costa se ter aliado aos comunas, inventava ministérios novos, do género Ministério do Mar e da Charcutaria, Ministério da Saúde e Marquises, Secretaria de Estado do Suor, etc., só para depois o Costa ter de mandar fazer cartões e papel de carta novos.

Seja como for, na minha modesta opinião - e como gosto de ribaldaria -, acho bem que o Governo PàF avance porque nunca se sabe. Não nos podemos esquecer que Passos Coelho é um dos políticos mais sexy do mundo e há muitas mulheres nas bancadas da oposição. Era o que faria a efémera.


__________________________________

TOP 5
Efémero

1 Novo Banco processa lesados do BES - Nós é que já devíamos ter processado a banca por dar cabo da nossa imagem. Com o dinheiro que gastamos a salvar bancos, comprávamos montes de roupa.

2 Aeroporto de Lisboa emite pornografia por engano - Deram o preço do café e de um croissant nos bares do aeroporto?

3 PAN "não está em condições" de apoiar Passos ou Costa - Tem de ir à rua.

4 Marques Mendes: "não foi para isso que as pessoas votaram no PS, nem no BE" - Se era para depois das eleições andarem a analisar o que eu pensei quando votei, em vez de cruz vou passar a fazer um borrão no boletim de voto: "Vejo um javali com uma bengala, este eleitor quis votar PAN."

5 Banif sofre forte queda em bolsa depois da referência feita ao banco pela ministra das Finanças, num comunicado do PSD por si assinado - Afinal, a Maria Luís é comunista.


pub

Marketing Automation certified by E-GOI