De Paris a Bissau

19.05.2021

A deslocação de Marcelo Rebelo de Sousa à Guiné-Bissau foi vista com bastantes reservas. Os partidos da oposição, nomeadamente o PAIGC, consideraram que a visita legitimou o “regime autoritário” de Umaro Sissoco Embaló, e em Portugal evocaram-se os seus antecedentes questionáveis. A realidade é bem mais complexa.

O Rio corre para o mar

17.05.2021

O sarcasmo é sempre uma boa arma, sobretudo em política, quando se trata de encontrar uma escapatória para um tema incómodo. Foi isso que fez Rui Rio. Compreensivelmente. E curiosamente no mesmo dia em que Alberto João Jardim assinou, no Jornal da Madeira, um artigo no qual sustenta que o PSD nacional tem de “acordar”, “mudar já” e “não esperar pelos resultados das eleições autárquicas”.

O futebol da batata quente

13.05.2021

O que aconteceu foi visto por todos. Uma multidão descontrolada, um risco sanitário enorme e uma polícia que agiu, não de forma preventiva, mas forçada pelos desacatos, também eles uma inevitabilidade. A festa, que terá sido bonita e merecida para todos os adeptos sportinguistas, constitui também o retrato fiel de um problema estruturante e transversal do país que radica no poder excessivo dos clubes e conta com a passividade de quem o devia contrariar.

Consequência da política

11.05.2021

As consequências são o resultado de ações e as que têm sido protagonizadas pelo ministro da Administração Interna revelam um enorme grau de desnorte.

O que fazer com o novo dinheiro

09.05.2021

Aquilo que era para ser uma transição prolongada e suave transformou-se numa revolução, rápida e em alguns casos dolorosa.

Ingenuidade e necessidade

05.05.2021

A UE não foi “ingénua”, fez-se de ingénua na sequência da crise financeira de 2007, visto que precisava da liquidez chinesa para devolver robustez à economia europeia, fechando os olhos à verdadeira proveniência do dinheiro.

“Máquinas Como Eu”

03.05.2021

A imposição do teletrabalho, que muitos querem tornar perene, por conveniência ou genuína crença dos seus méritos, também nos deve convocar para este debate sobre a humanidade que sobrevirá a esta pandemia.

Para bom entendedor...

29.04.2021

A pandemia obrigou a mais Estado, numa primeira fase a nível sanitário, e posteriormente no plano económico. Tanto Biden como os líderes europeus, independentemente da sua família política, convergiram na necessidade de dar protagonismo aos respetivos governos por forma a garantirem a sobrevivência da economia, e, por esta via, a proteção do maior volume possível de emprego.

Ver Mais