E se a taxa variável no crédito acabasse?

Quando se fala em crédito à habitação, em Portugal, fala-se de taxa de juro variável. Isto porque a grande maioria (96,4%) dos empréstimos está indexado à Euribor.
Jornal de Negócios
pub
Raquel Godinho 06 de setembro de 2018 às 22:27

A realidade em Espanha é relativamente parecida, ainda que os contratos a taxa fixa tenham ganho expressão nos últimos anos, devido aos valores negativos assumidos pelas Euribor. Mas o presidente executivo do CaixaBank quer alterar este cenário. Gonzalo Gortázar solicitou ao Congresso espanhol (equivalente ao parlamento) que ponha um travão aos créditos com taxa variável. Ou seja, numa audição perante os deputados, o responsável revelou que o banco pretende acabar com a venda de crédito com taxa variável, uma vez que estes empréstimos podem representar riscos elevados. Ainda que a Euribor esteja em valores negativos, começará a subir e, se o fizer abruptamente, "voltará a trazer problemas de pagamento", explicou Gortázar, citado pelo "El Economista". Deste modo, mesmo que, para já, os créditos com taxa fixa sejam mais caros acabam por proteger os clientes de oscilações futuras das taxas de juro. E o responsável disse acreditar que o banco está sozinho nesta luta já que as restantes instituições tentam vender empréstimos cada vez mais baratos.

pub