Patrícia  Abreu
Patrícia Abreu 25 de julho de 2019 às 20:50

Almoço com Warren Buffett não cai bem à China

E aquele que Warren Buffett julgava ser mais um encontro como o dos últimos anos - em que seria questionado sobre teorias de investimento e dicas para ganhar nos mercados - motivou teorias da conspiração, pedidos de desculpa públicos e até detenções na China.

Todos os anos Warren Buffett dá a oportunidade a um fã de partilhar consigo um almoço. O evento faz parte de uma das ações de caridade do multimilionário, uma vez que é escolhida a pessoa que pagar mais para conhecer Warren Buffett. Este ano, Justin Sun, fundador da décima maior criptomoeda do mundo, a Tronix, foi o contemplado, depois de ter desembolsado 4,57 milhões de dólares, ou 4,06 milhões de euros, para ter esta oportunidade. Mas aquele que podia ser um dos momentos mais entusiasmantes da sua vida, acabou por tornar-se numa grande confusão. E aquele que Warren Buffett julgava ser mais um encontro como o dos últimos anos - em que seria questionado sobre teorias de investimento e dicas para ganhar nos mercados - motivou teorias da conspiração, pedidos de desculpa públicos e até detenções na China. Apenas três dias antes do encontro com Buffett, Sun pediu para adiar o encontro, levando os media chineses a justificar o reagendamento com o facto do CEO da Tron estar detido pelas autoridades chinesas, alvo de várias acusações, desde lavagem de dinheiro até financiamento ilegal. Entretanto Sun veio a público desculpar-se e culpabilizar-se pela grande publicidade que fez do evento de Buffett. Pelos vistos na China, o almoço não caiu bem. 

 

Jornalista

pub

Marketing Automation certified by E-GOI