Patrícia  Abreu
Patrícia Abreu 10 de janeiro de 2019 às 21:10

Draghi arruma a bazuca, mas ainda tem armas

Mario Draghi pode até ter guardado a bazuca, mas ainda dispõe de armas para intervir nos mercados. Será que vai ser preciso?

O Banco Central Europeu (BCE) tem deixado bem claro que vai manter uma política monetária acomodatícia por um longo período de tempo. Apesar de ter terminado, no final de 2018, o programa de compra de ativos mensal, a instituição vai continuar no mercado a reinvestir o valor dos investimentos que atinjam a maturidade. Além disso, as indicações da entidade apontavam para a primeira subida de juros na Zona Euro apenas depois do verão deste ano. Mas, nos relatos relativos à reunião de dezembro, divulgados esta quinta-feira, a entidade deixa a indicação que o mais provável é que as taxas de juro não subam antes do final do ano. Ou seja, ao longo de 2019, os juros deverão permanecer em 0%. "O 'timing' esperado para a descolagem das taxas de juro do BCE mudaram-se para o final de 2019", adiantam os relatos do encontro onde a entidade confirmou o fim do programa de compra de ativos. Com esta garantia parece claro que o presidente do BCE, Mario Draghi, vai continuar atento às condições dos mercados e está determinado em garantir que a retirada dos estímulos não deita por terra os avanços com eles alcançados, nos últimos anos. Mario Draghi pode até ter guardado a bazuca, mas ainda dispõe de armas para intervir nos mercados. Será que vai ser preciso?

 

Jornalista

pub

Marketing Automation certified by E-GOI