Patrícia  Abreu
Patrícia Abreu 09 de abril de 2019 às 18:30

Pagar sim, mas só quando se justifica

O tema das comissões é um dos mais sensíveis entre os investidores. Em primeiro lugar porque lhes saem do bolso, em segundo porque nem sempre os custos pagos têm os retornos desejados.

E é esta disparidade de expectativas que, muitas vezes, afasta os investidores de produtos como os fundos de investimento. Segundo as conclusões de um estudo realizado pela Allianz GI junto de 500 investidores institucionais em todo o mundo, quase 70% defende estruturas de comissões alinhadas com o desempenho. O mesmo relatório refere que os investidores reconhecem que os profissionais da gestão ativa estão em melhor posição para ajudar os investidores a superar os desafios que eles próprios identificam. Ainda assim, poucos dizem que vale a pena pagar por uma gestão ativa. Menos de um quarto (23%) dos investidores mundiais considera que este tipo de gestão compensa o custo cobrado. Mesmo assim há a perceção de que os gestores ativos podem fazer melhor que o mercado em momentos em que haja pouca correlação entre os ativos. Já 71% afirma que os gestores ativos estão em melhor posição para capitalizar as oportunidades apresentadas pela transformação digital. Mas será que estão dispostos a pagar por estas estratégias ativas?

 

Jornalista

Marketing Automation certified by E-GOI