Patrícia  Abreu
Patrícia Abreu 08 de julho de 2019 às 20:18

Quando o feitiço se vira contra o feiticeiro

A indústria do aço tem sido um dos alvos da política de tarifas de Donald Trump. O presidente norte-americano está determinado em tornar a indústria norte-americana mais competitiva, através do reforço de medidas protecionistas.

Mas, nalguns casos, as políticas de Trump estão a voltar-se contra algumas das maiores empresas do setor. Segundo a Business Insider, a US Steel perdeu 5,5 mil milhões de dólares, o que equivale a cerca de 70% do seu valor de mercado, desde que o presidente norte-americano anunciou as primeiras tarifas de 25% sobre as importações de aço, em março de 2018. A expectativa era que estas tarifas pudessem ajudar as companhias norte-americanas a aumentar a produção e a aumentar a criação de novos postos de trabalho na indústria. A US Steel era, aliás, apontada como uma das potenciais beneficiárias desta medida protecionista, mas o efeito foi precisamente o contrário. E a fatura está a ser elevada, com a companhia avaliada agora em apenas 25% da sua capitalização bolsista de há um ano. Não que os esforços de Trump não tenham puxado pela produção. O problema é que a maior oferta coincidiu com a descida da procura, conduzindo a uma forte descida dos preços. O feitiço está a virar-se contra o feiticeiro?

 

Jornalista

pub

Marketing Automation certified by E-GOI