E os culpados?

05.08.2014

A história sobre o resgate do BES ainda está longe de estar contada. Claro que os meandros da decisão ficarão para mais tarde. O que não pode ficar para esse "mais tarde" são as responsabilidades. Não se pode querer manter a confiança no sistema financeiro ou no mercado de capitais se nada disto tiver consequências e rápidas.

Quem é agora o encornado?

07.07.2014

Quando em Fevereiro de 2010, a "Visão" questionou Henrique Granadeiro sobre o que o presidente da PT sentiu ao descobrir que dois dos seus administradores (Rui Pedro Soares e Soares Carneiro) estavam a ser ligados a um alegado plano do Governo para controlar a comunicação social, a resposta estoirou: "Encornado!".

[Espírito] Santo da casa não faz milagres

24.06.2014

Habituei-me a ver o Banco Espírito Santo como intocável, à prova de tudo. Não é por acaso que Ricardo Salgado, o seu presidente, era falado como "o dono disto tudo". Tinha poder e exercia-o. Na banca, nas empresas, na sociedade.

Um abrigo Seguro

08.04.2014

É daquelas coisas que todos gostamos de ouvir. Gostaríamos ainda mais de ver. Mas, infelizmente, será quase impossível. E, por isso, António José Seguro é autor de mais uma promessa, que dá um óptimo título, mas que tem um grau de dificuldade incalculável.

Alguém pediu uma prescrição?

10.03.2014

O Ministério da Justiça cravava a bandeira da conquista há uns dias, como o primeiro Ministério a cumprir todas as medidas previstas no memorando de ajuda externa a Portugal. A bandeira ficou cravada. Concorde-se ou não com algumas das medidas.

Natalidade não nasce do ar

24.02.2014

Passos Coelho ainda não tinha desfraldado a bandeira da natalidade. Portugal precisa de população e, por isso, o primeiro-ministro anunciou a criação de uma comissão (mais uma!) para preparar um plano de acção que promova a natalidade em Portugal.

Almofada é para dormir

27.01.2014

Se tivesse de encarnar um anão da Branca de Neve não teria dúvidas. Escolheria, logo, o dorminhoco. Gosto de dormir e tenho necessidade de dormir, por isso, sou muito atenta quando se fala de almofadas.

Para começar de vez com a cultura

14.01.2014

Petições para não deixar morrer o Cinema Londres. Petições para o Estado português não vender os quadros de Miró. Concordo com isso tudo. Gostava que o Cinema Londres ainda existisse. Gostava que o King não tivesse fechado. Gostava de ver a exposição de Miró em Portugal. Também gostava que nos inquéritos sobre a cultura não se apontasse a falta de interesse como a principal razão para não se ir ao cinema, ou a um museu ou galeria ou ainda ao teatro, ao bailado, à opera.... Mas é isso que se passa.

Ver Mais