Outros sites Cofina
Notícia

Fundos sustentáveis: produtos portugueses brilham menos

Embora a tendência dos fundos sustentáveis seja superarem o desempenho dos pares tradicionais, nem sempre é este o caso.

Ana Batalha Oliveira anabatalha@negocios.pt 28 de Maio de 2020 às 16:30
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

Dos quatro fundos que constam do levantamento de abril da APFIPP – Associação Portuguesa de Fundos de Investimento, Pensões e Patrimónios, apenas um se destaca como tendo tido um melhor desempenho face aos pares da sua categoria, durante os meses da pandemia.

A Caixa Gestão de Ativos gere dois dos fundos sustentáveis que são contemplados na lista da APFIPP. Um deles, o Caixa Ações Europa Socialmente Responsável, é precisamente o fundo que se destaca como tendo um melhor desempenho que a média dos fundos da mesma categoria, os fundos de ações da União Europeia, Suíça e Noruega, entre janeiro e abril. Nestes quatro meses, o fundo da Caixa contou uma rentabilidade de -15,67%, que compara com a perda média de 21,89% do conjunto da categoria.

Questionada sobre se o desempenho superior estaria relacionado com o facto de este fundo ser sustentável, a Caixa mostra-se convicta de que “com uma abordagem ESG conseguimos gerir melhor o risco dos nossos investimentos e potenciar a geração de rendibilidades sustentáveis no longo prazo”. Simultaneamente, a gestora aponta “que existe evidência de uma relação não negativa entre a integração de fatores ESG nos investimentos e a sua rendibilidade”.

Já o fundo Caixa Investimento Socialmente Responsável não foi tão bem-sucedido nos quatro meses até abril, no contexto da categoria fundos multiativos defensivos. Este fundo apresentou uma rentabilidade de -6,76% contra a média de -4,25% do conjunto dos pares que se inserem na mesma categoria.

No caso do fundo IMGA Iberia Fixed Income ESG, o contraste foi entre os -6,19% de rentabilidade do fundo face à média de -3,79% da respetiva categoria, os fundos de obrigações euro. A IMGA explica que o fundo em causa destina-se a investidores com tolerância moderada ao risco, pelo que é adequado para aplicações superiores a 18 meses. Neste exemplo, o caráter sustentável é dado pelo investimento de metade do património do fundo em obrigações com selo ESG, através da denominação “green, social ou sustainable bonds”.

 

Só um fundo nacional ESGem quatro se destaca na pandemia
Rentabilidades dos fundos sustentáveis nacionais entre janeiro a abril

Entre quatro fundos portugueses sustentáveis ativos em abril, apenas um superou o desempenho da sua categoria desde janeiro.

 

Mais notícias