Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

As avaliações do Bankinter para 5 cotadas do PSI-20

Das cinco ações que começaram a ser acompanhadas pelo Bankinter, apenas a Navigator recebe uma recomendação de “neutral”, devido à contração no segmento do papel. Já o BCP e a Nos são as empresas que apresentam o maior potencial de subida.

Patrícia Abreu pabreu@negocios.pt 03 de Novembro de 2019 às 11:00
  • Assine já 1€/1 mês
  • 9
  • ...

Galp: Produção no Brasil vai acelerar geração de “cash flow”

Galp: Produção no Brasil vai acelerar geração de “cash flow”

O analista João Pisco avalia a petrolífera portuguesa com um preço-alvo de 17,10 euros e uma recomendação de comprar. O especialista realça que "a empresa encontra-se em pleno ciclo de crescimento de produção, fruto do ramp-up da produção nos novos campos do pré-sal brasileiro. Este contexto deverá traduzir-se numa forte geração de cash flow operacional, o que permitirá à empresa investir em novos projetos de crescimento e transformacionais e aumentar simultaneamente a remuneração dos seus acionistas".

Além das boas perspetivas para a exploração no Brasil, o Bankinter destaca ainda os planos da empresa para aumentar a remuneração acionista em 10% ao ano até 2021. "Uma vez que não se vislumbram necessidades de redução da dívida (o rácio Dívida Líquida / EBITDA encontra-se nuns confortáveis 0,8 vezes), a empresa terá assim capacidade para manter um nível de investimento (Capex) acima de 1.000 milhões de euros por ano e simultaneamente aumentar a remuneração dos seus acionistas", escreve o analista.

Em relação aos resultados, o banco espanhol realça que as perspetivas são "muito favoráveis", o que adicionado a uma cotação atrativa, justifica a recomendação de compra.

Rentabilidade é o principal atrativo da Nos

Rentabilidade é o principal atrativo da Nos

Num ambiente de taxas de juro muito baixas, a Nos é apontada pelo Bankinter como uma boa alternativa para obter rendimento. O Bankinter atribui uma recomendação de "comprar" e um target de 6,82 euros às ações da Nos, as quais espera que a curto prazo continuem "a beneficiar da maior procura por empresas ‘bond-proxy’", com a companhia a oferecer uma rentabilidade de dividendo (6,7% em 2019) "bastante atrativa".

 

"Embora estimemos um crescimento modesto das receitas (entre 1,5% e 2,0% por ano), os lucros deverão crescer acima de 5% nos próximos anos, refletindo uma expansão das margens de rentabilidade e uma diminuição do custo da dívida", antecipa o Bankinter. O banco acredita que, apesar dos desafios que o setor enfrenta, a companhia vai continuar a distinguir-se no setor e a beneficiar do contexto de taxas de juro em mínimos históricos, devido às suas características de "bond-proxy".

 

"Além disso, a boa evolução da economia portuguesa, em particular do consumo privado, deverá continuar a impulsionar os gastos com telecomunicações dos portugueses", remata o analista João Pisco.

BCP com margem para recuperar

BCP com margem para recuperar

 "Iniciamos a cobertura do BCP com uma recomendação de ‘comprar’ e um price target de 0,27 euros", refere o Bankinter na primeira nota divulgada para o BCP. O analista João Pisco refere que "os novos estímulos monetários do BCE penalizam a margem financeira do BCP e são um obstáculo ao seu regresso à normalidade". Mesmo assim, o banco espera "um crescimento robusto do resultado líquido, impulsionado pela redução das imparidades".

 

Além da expectativa de recuperação de resultados, o Bankinter nota que o valor de mercado do BCP "representa menos de 50% do seu valor contabilístico, o nível mais baixo entre os seus comparáveis", adiantando que "vemos potencial de valorização face ao preço atual, apesar da deterioração do contexto do setor".

 

Apesar do otimismo para a evolução da cotação, o Bankinter reconhece que os objetivos do plano estratégico poderão ser mais difíceis de alcançar. "O BCP tem como objetivo alcançar um ROE de 10% em 2021 (5,7% no primeiro semestre de 2019) e pagar um dividendo correspondente a 40% dos lucros. Tendo em conta esta deterioração das perspetivas sobre o setor, nomeadamente ao nível das taxas de juro (Euribor), parece-nos difícil que estes objetivos sejam alcançados dentro do horizonte considerado", explica o "research". Assim, "não descartamos que o banco se veja obrigado a rever o seu plano estratégico para 2021".

Navigator com menor potencial de subida

Navigator com menor potencial de subida

A Navigator é a empresa que recolhe a avaliação mais conservadora do Bankinter. O banco atribui um preço-alvo de 3,51 euros à ação, com uma recomendação de "neutral".

 

"O nosso cenário central assume uma contração natural, mas menor do que a média do mercado, no segmento de Papel UWF e um ramp up conservador do segmento de tissue", antecipa o analista Rafael Diogo. "Além deste cenário base de valorização, identificamos maior potencial de subida do que de queda, para movimentos no valor da empresa", remata.

Altri está “subavaliada” pelo mercado

Altri está “subavaliada” pelo mercado

O Bankinter avalia as ações da Altri com um target de 6,31 euros, uma avaliação que confere um potencial de subida de 14% à papeleira.

 

O analista Rafael Diogo "assume uma estabilização do preço da pasta BHKP nos 800 dólares/tonelada no curto e médio prazo", uma previsão que leva o banco a considerar que "a ação da Altri está subavaliada pelo mercado".

 

"A recente atividade em termos de insider buying (compra de ações pelos gestores da empresa) nos últimos meses, dá uma força adicional a esta tese", acrescenta.





Nota:
A notícia não dispensa a consulta da nota de "research" emitida pela casa de investimento, que poderá ser pedida junto da mesma. O Negócios alerta para a possibilidade de existirem conflitos de interesse nalguns bancos de investimento em relação à cotada analisada, como participações no seu capital. Para tomar decisões de investimento deverá consultar a nota de "research" na íntegra e informar-se junto do seu intermediário financeiro.

Ver comentários
Saber mais Bankinter research
Outras Notícias