Trading Dona do Google afunda mais de 8,5% e regista a maior queda desde 2012

Dona do Google afunda mais de 8,5% e regista a maior queda desde 2012

A Alphabet passou de máximos históricos, atingidos na última sessão, para afundar mais de 8,5%, naquela que é a maior queda desde 2012. Tudo porque os resultados do primeiro trimestre desapontaram os investidores.
Sara Antunes
Sara Antunes 30 de abril de 2019 às 16:42

As ações da Alphabet estão a deslizar 8,47% para 1.186,42 dólares, tendo chegado a recuar um máximo de 8,73%, o que corresponde à descida mais acentuada desde outubro de 2012. Ontem os títulos tocaram em máximos históricos, ao negociar nos 1.296,975 dólares, antes da apresentação dos resultados do primeiro trimestre.

 

A dona do motor de busca Google fechou o primeiro trimestre com um volume de negócios que ficou aquém das estimativas. Sem contabilizar os custos por aquisição de tráfego (TAC, na sigla em inglês), as receitas foram de 29,48 mil milhões de dólares – 18,6% acima dos 24,86 mil milhões um ano antes, mas abaixo das estimativas de 30,04 mil milhões avançadas pelo consenso do mercado.

 

Estes números ditaram a queda das ações, com os investidores a recearem que os concorrentes estejam a conseguir "roubar" receitas à Google. Estes receios acentuaram-se depois da conferência que houve com analistas, com a Alphabet a falhar em acalmar estes medos.

PUB

Conheça mais sobre as soluções de trading online da DeGiro.

DeGiro

Marketing Automation certified by E-GOI