Trading IMF – Coroa norueguesa alcança mínimos de dezembro de 2008

IMF – Coroa norueguesa alcança mínimos de dezembro de 2008

Coroa norueguesa continua a recuar, mesmo com banco central hawkish; Fortes vendas a retalho nos EUA levam Eur/Usd abaixo dos $1.11; Crude falha teste ao limite superior do canal descendente; Ouro continua a renovar máximos de mais de seis anos.
IMF – Coroa norueguesa alcança mínimos de dezembro de 2008

Coroa norueguesa continua a recuar, mesmo com banco central hawkish

A coroa norueguesa surpreendentemente continua a perder terreno face ao euro, tendo alcançado mínimos de dezembro de 2008, com o Eur/Nok a alcançar níveis acima dos 10 noks. Apesar de o Norges Bank estar a contrariar a tendência global dos bancos centrais, sendo dos poucos que mantém uma perspetiva hawkish, tendo subido as taxas de juro este verão e mantendo a perspetiva de futuras subidas ainda para este ano. Contudo, tendo em conta a alta exposição que a economia norueguesa tem face às tensões EUA-China e à queda dos preços do petróleo, que representa 20% do PIB norueguês, o mercado tem vindo a vender coroas.

Tecnicamente, o Eur/Nok subiu quase 6% no último mês entrando num ponto de overbought levando o par a consolidar os ganhos. O MACD aponta para uma inversão de tendência podendo isto querer dizer que o Eur/Nok irá quebrar em baixa os 9.80-90 coroas norueguesas.

Fortes vendas a retalho nos EUA levam Eur/Usd abaixo dos $1.11

O Eur/Usd ainda consolidou em torno dos $1.12, mas a meio da última semana acabou por quebrar o intervalo de lateralização em que seguia inserido e recuou abaixo dos $1.11. O forte crescimento das vendas a retalho nos EUA, acima do esperado (0.7% vs 0.3% m/m julho), levaram a um maior otimismo, fazendo com que o mercado descontasse uma menor probabilidade de corte de taxas por parte da Fed em setembro, impulsionando o dólar. Adicionalmente, Olli Rehn afirmou que o BCE necessita de implementar um pacote de estímulos significativo, levando a uma queda dos yields na Zona Euro.

Tecnicamente, o Eur/Usd quebrou a linha de tendência descendente a consolidar, mas mostrou alguma vulnerabilidade acima deste limite e voltou a recuar renovando mínimos de duas semanas. Tecnicamente, o MACD aponta para uma perspetiva bearish, mas o estocástico indica que o par ainda poderá corrigir em alta antes de dar seguimento às quedas.

Crude falha teste ao limite superior do canal descendente

Os preços de petróleo conseguiram subir aos $57, mas rapidamente encontraram resistência e acabaram por recuar. Os preços do petróleo foram impulsionados no início da semana pela diminuição das tensões comerciais EUA-China (chegando a subir em torno de 4-5%), mas os fracos dados da China, que aumentaram os receios de abrandamento, junto com o aumento da produção norte-americana, levou o ouro negro a ser pressionado. No entanto, as expectativas de cortes da OPEP junto com as sanções à Venezuela e ao Irão sustentaram o crude.

Tecnicamente, o crude após testar o limite superior do canal ascendentes e os 50% de retração de fibonacci, acabou por recuar, encontrando suporte nos $53.50. O petróleo poderá vir a testar o limite superior canal na eventualidade de uma quebra em alta dos $55.60. No entanto, no médio-prazo a perspetiva permanece bearish.

Ouro continua a renovar máximos de mais de seis anos

O mercado tem vindo a refugiar-se no metal precioso, à medida que os receios sobre o abrandamento da economia global começam a aumentar. Os sinais e atual cenário começam a ser evidentes, inversão da curva de rendimentos norte-americana – algo que tem vindo a preceder todas as crises das últimas décadas – fracos dados na China da produção industrial, as vendas a retalho, contração da economia alemã, turbulências nos emergentes, incertezas sobre o Brexit, tensões comerciais que aparentam não ter fim, mercado a apostar em obrigações, iene e franco suíço. Tudo aponta para uma perspetiva de recessão/abrandamento significativo e o mercado como sempre continuará a comprar ouro enquanto os riscos se mantiverem.

Tecnicamente, o ouro continua a seguir com uma perspetiva bullish, acompanhado por níveis oversold, indicando que deverá corrigir em baixa à medida que sobe, libertando alguma pressão de compra.

As análises técnicas aqui publicadas não pretendem, em caso algum, constituir aconselhamento ou uma recomendação de compra e venda de instrumentos financeiros, pelo que os analistas e o Jornal de Negócios não podem ser responsáveis por eventuais perdas ou danos que possam resultar do uso dessas informações. Caso pretenda ver esclarecida alguma dúvida acerca da Análise Técnica, por favor contactar a IMF ou o Jornal de Negócios.

PUB

Conheça mais sobre as soluções de trading online da DeGiro.

DeGiro

Marketing Automation certified by E-GOI