Trading IMF – Libra respira de alívio, para já

IMF – Libra respira de alívio, para já

Deputados dificultam a possibilidade de um Brexit sem acordo; Eur/Usd falhou teste aos 38.2% de retração de fibonacci; Preços do petróleo terminaram a semana em mínimos de um mês; Ouro alcançou máximos de abril de 2013.
IMF – Libra respira de alívio, para já

Libra respira de alívio, para já; Deputados dificultam a possibilidade de um Brexit sem acordo

Os deputados britânicos aprovaram ontem uma emenda que dificulta que o Primeiro-Ministro de forçar um Brexit sem acordo suspendendo o Parlamento. Boris Johnson, o favorito à liderança, tem vindo a reforçar a ideia de que o RU sairá a 31 de outubro com ou sem acordo. Johnson ainda recusou descartar a suspensão do Parlamento, de modo a impedir os deputados de aprovar algo que bloqueie os seus planos de sair sem um acordo. A emenda aprovada (315 vs 274) requer que o Parlamento esteja presente para considerar assuntos relacionados com a Irlanda do Norte, mesmo que esteja suspenso. Contudo, apesar de as medidas dificultarem a vida ao Primeiro-Ministro não impossibilitam que tal possa acontecer. O gabinete para a Responsabilidade Orçamental acredita que uma saída atribulada custará £30 mM aos cofres do estado.

Tecnicamente, o Eur/Gbp subiu 6% desde inícios de maio. Apesar de haver uma perspetiva bullish sobre o par, espera-se que este possa corrigir em baixa, perdendo parte dos ganhos dos últimos dias.

Eur/Usd falhou teste aos 38.2% de retração de fibonacci

O Eur/Usd foi pressionado no início da semana, após o instituto ZEW ter mostrado que houve uma deterioração do sentimento económico na Alemanha, acima do que se esperava. Adicionalmente, as fortes vendas a retalho nos EUA deram algum otimismo sobre o estado da economia norte-americana, levando o dólar a ser impulsionado. No final da semana, as afirmações dovish de Clarida e Williams, ambos membros da Fed, levaram o Eur/Usd a voltar aos $1.1280, mas rapidamente o par perdeu o impulso e voltou aos $1.1220. Esta descida foi sustentada pelo facto de o mercado começar a descontar 60% de probabilidade de haver um corte de taxas por parte do BCE já este mês.

Tecnicamente, o Eur/Usd falhou o teste aos $1.1280 – 38.2% de retração de fibonacci – e à linha de tendência descendente. Tendo em conta a formação de um triângulo descendente, é necessária alguma cautela com um novo teste em baixa aos $1.12, pois o suporte poderá não evitar uma queda a níveis mais baixos desta vez.

Preços do petróleo terminaram a semana em mínimos de um mês

Os preços do petróleo encerraram a semana a recuar, em mínimos de um mês. O principal fator a justificar a descida foi a queda abaixo das expetativas dos inventários de crude, 1.4 milhões de barris, e a grande subida dos inventários de destilados, 6.2 milhões de barris, que deterioram o sentimento. Adicionalmente, o recomeço das operações no Golfo do México e a projeção de um novo aumento da produção norte-americana, com a Administração de Informação Energética (EIA na sigla em inglês) a antecipar um aumento de 49.000 bdp em agosto, também pressionaram a matéria-prima. Contudo, os preços receberam algum suporte na sexta-feira, devido ao escalar das tensões no Médio Oriente, com relatos de que a marinha norte-americana terá abatido um drone iraniano no Estreito de Ormuz.

Tecnicamente, após terem quebrado a resistência psicológica dos $60, os preços do crude acabaram por corrigir em baixa ao longo da semana, tendo mesmo quebrado os $57.34 – 61.8% de retração de fibonacci – e chegado a testar os $54.48 – 50% de retração de fibonacci. O crude negoceia com uma perspetiva bearish, sustentada pela inversão do sinal de compra do MACD. Uma quebra em baixa dos $54.48 poderá levar o ouro negro a recuar até níveis em torno dos $51-$52.

Ouro alcançou máximos de abril de 2013

Na última semana, o ouro alcançou máximos de abril de 2013. O metal precioso foi impulsionado pela perspetiva mais dovish de dois membros da Fed, que aumentaram a expectativa de um corte de 50 pontos base por parte da Reserva Federal. Os comentários de Clarida e Williams levaram o dólar ser pressionado. Adicionalmente, o recente escalar de tensões entre Irão e os EUA também deram algum ímpeto ao ouro.

Tecnicamente, o ouro ainda tem terreno para poder testar os $1480, após ter quebrado a resistência dos $1430. No entanto, atenção para o MACD que não dá sinais definidos de tendência e o RSI que aponta uma zona oversold do ouro, devendo ser possível verificar uma correção em breve.

As análises técnicas aqui publicadas não pretendem, em caso algum, constituir aconselhamento ou uma recomendação de compra e venda de instrumentos financeiros, pelo que os analistas e o Jornal de Negócios não podem ser responsáveis por eventuais perdas ou danos que possam resultar do uso dessas informações. Caso pretenda ver esclarecida alguma dúvida acerca da Análise Técnica, por favor contactar a IMF ou o Jornal de Negócios.

PUB

Conheça mais sobre as soluções de trading online da DeGiro.

DeGiro

Marketing Automation certified by E-GOI