Trading Matérias-primas escapam ao crash nos mercados

Matérias-primas escapam ao crash nos mercados

Os ganhos dos metais preciosos e do gás natural compensaram a queda do petróleo e de outros metais industriais.
Matérias-primas escapam ao crash nos mercados
Dario Pignatelli/Bloomberg
Mariana Adam 06 de fevereiro de 2018 às 15:26

Tal como os mercados accionistas, as commoditieis arrancaram o ano com o pé direito, e subiram em Janeiro para o nível mais alto desde 2015, perante as perspectivas de um forte crescimento global, que levam a uma maior procura de matérias-primas.

Nos últimos dias assistiu-se a um "crash" nos mercados, que já fez com que Wall Street tenha perdido o equivalente a 7% do PIB dos Estados Unidos. Mas as commodities estão a escapar a este sentimento.

Apesar deste cenário negro, o Bloomberg Commodity Index recuou apenas 0,1% desde o início do ano. Sendo que os ganhos registados pelos metais preciosos e gás natural travaram o impacto da queda do petróleo e de outros metais industriais. O petróleo está a negociar esta terça-feira em queda pela terceira sessão consecutiva. Já o ouro mais uma vez provou fazer jus ao seu estatuto de principal activo de refúgio e bateu em máximos de seis meses. A prata e a platina também estão em contraciclo com o mercado accionista mundial.

De salientar, que os analistas dizem que a queda das acções é uma correcção após os máximos recentes e não encontram razões para acreditar que se trate de um movimento profundo.

 

"Não há nenhuma razão fundamental para que este selloff altere a nossa visão dos mercados de commodities", defendeu em declaração à Bloomberg Daniel Hynes, da ANZ Banking Group". Ainda na semana passada o Goldman Sachs Group Inc., escreveu num relatório que o optimismo em relação às matérias-primas está aos níveis do final de 2008.

Para o Citigroup Inc., o colapso nos mercados de acções representa uma oportunidade de compra. "Recomendamos o aumento da exposição aos metais industriais no próximo mês", defendeu o banco num relatório divulgado ontem, segunda-feira dia 5 de Fevereiro. O Citi acredita que o crescimento económico e a recuperação da inflação vão impulsionar os ganhos dos metais.

Jeffrey Gundlach, investidor multimilionário defendeu recentemente que as matérias-primas podem ser um dos melhores investimentos deste ano, até porque tradicionalmente estes aumentam durante uma fase mais tardia de recuperação do ciclo económico.


Marketing Automation certified by E-GOI