Automóveis Honda Civic aposta no Diesel

Honda Civic aposta no Diesel

A Honda vai comercializar a partir de Maio o Civic de 4 portas com um motor Diesel de 120 cv. Em Abril chega a versão de 5 portas.
Adriano Oliveira 17 de fevereiro de 2018 às 16:00
27.300€*

Honda Civic Sedan 1.6 i-DTEC

Motor: dianteiro transversal, alumínio, gasóleo, 4 cilindros em linha, 16 válvulas, injecção directa, geometria variável, intercooler, 'start/stop'.
Cilindrada: 1.597 cc.
Potência: 120 cv às 4.000 rpm.
Binário: 300 Nm às 2.000 rpm.
Velocidade máxima: 201 km/h.
Aceleração: 9,8s 0-100 km/h.
Transmissão: manual 6 velocidades.
Tracção: dianteira.
Consumos:
misto 3,4l/100 km;
urbano 3,5l/100 km;
extra-urbano 3,4/100 km.
Emissões CO2: 91 g/km (Euro VI).

*Preços: a partir de 27.300€


Numa época em que o mercado automóvel europeu conhece uma inversão na tendência de utilização do gasóleo a favor da gasolina, ou de outras alternativas mais ecológicas, como a eléctrica, será que ainda faz sentido apostar no desenvolvimento do diesel? A Honda acredita que sim. O novo 1.6 i-DTEC na gama Civic 10.ª geração é a prova disso.

Entre outros argumentos, a marca japonesa estima que, mesmo com a quebra nos volumes de vendas, em 2021 o mercado de veículos novos com motores a gasóleo deverá ainda representar cerca de 31% A gasolina andará pelos 47%.

Por outro lado, o novo propulsor i-DTEC da Honda não é feito só para a Europa, que deverá absorver entre 20 e 25% da produção. O resto segue para a Índia, América do Sul e outros mercados. Mas o mais importante desta nova aposta diesel da Honda é, na realidade, a sua eficiência. Com 120 cv de potência, o 1.6 i-DTEC oferece baixas emissões de CO2 (91 g/km), que respeitam a norma Euro6, e consumos médios homologados da ordem dos 3,4 litros aos 100/km no Civic Sedan e 3,5 litros no Civic Hatchback. Níveis de excelência de economia que poderão incrementar as vendas do Civic, por exemplo, no mercado das frotas.

O desenvolvimento do novo 1.6 i-DTEC foi pensado, precisamente, com o objectivo de melhorar a eficiência. Entre outras novidades, o bloco 1.6 turbo de geometria variável, com bloco e cabeça em alumínio, recebe novos pistões em aço forjado (eram em alumínio no anterior 1.6 Diesel Honda), para reduzir as perdas de arrefecimento. Beneficia ainda de um polimento especial nas superfícies para reduzir as fricções no interior da câmara de combustão. A Honda interveio igualmente ao nível da sobrealimentação e do escape, com a adopção de um novo catalisador com filtro de partículas de nova geração.

Ao volante, o novo motor revela-se silencioso, mesmo em aceleração, e sem vibrações. Agradável de conduzir e confortável em estrada, apresenta bons desempenhos e boas recuperações. Igual à anterior, a caixa manual de seis velocidades, de comando rápido e preciso, permite um estilo de condução dinâmico. A partir de Setembro, haverá uma nova caixa automática de nove relações. Além do 1.6 i-DTEC, a gama Civic inclui duas novas motorizações turbo a gasolina.


Negócios em Roma, a convite da Honda





A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
Invicta 17.02.2018

Novo HONDA Civic com motor a diesel? O que circula de informação, é que só vão ter motores a gasolina...

Saber mais e Alertas
pub