Weekend José Tolentino Mendonça: "Vivemos com os olhos colados nos sapatos"
Conteúdo exclusivo para Assinantes Se já é assinante, faça LOGIN

José Tolentino Mendonça: "Vivemos com os olhos colados nos sapatos"

José Tolentino Mendonça é padre e poeta. O seu livro mais recente, "A Mística do Instante", é um ensaio que nos recentra em verbos primordiais, como escutar. Que nos coloca perguntas fundantes, como: "Existir, a que será que se destina?" Se fosse preciso erguer uma bandeira, a de um manifesto político, poderia ser: "A vida não pode ser só isto". Se fosse uma bandeira poética, o manifesto seria o mesmo. O espantoso em Tolentino: a sua capacidade de ligar mundos distantes, aparentemente impossíveis de serem ligados. De captar os caminhos internos do mundo e da palavra. A entrevista foi na Universidade Católica, onde é vice-reitor. Citou Guimarães Rosa para dizer que "viver é perigoso". Eu trago a Gal e o Caetano para completar: "Atenção, tudo é perigoso, tudo é divino maravilhoso".
José Tolentino Mendonça: "Vivemos com os olhos colados nos sapatos"
Anabela Mota Ribeiro 24 de dezembro de 2014 às 09:29

Usa muito no livro "A Mística do Instante" o verbo escutar. É diferente de ouvir. Escutar supõe uma atenção mais funda. Ouvir tem uma conotação mais apressada. Concorda com isto?

Conteúdo exclusivo para Assinantes Negócios Premium
Assine e aceda sem limites, no pc e no smartphone Assinar por 1€ por 1 mês



Notícias só para Assinantes
Análise, informação independente e rigorosa..
Para saber o que se passa em Portugal e no mundo, nas empresas, nos mercados e na economia.
Notícias e conteúdos exclusivos no website e aplicações móveis
Newsletter diária exclusiva para assinantes
Acesso ao epaper a partir das 23:00
Saiba mais
pub

Marketing Automation certified by E-GOI