Weekend Manuel Wiborg: Estamos a viver o fim de uma civilização
Conteúdo exclusivo para Assinantes Se já é assinante, faça LOGIN

Manuel Wiborg: Estamos a viver o fim de uma civilização

“Não me peçam nem que ajude a domesticá-los nem que faça causa da preservação dos seus modelos e sistemas, que dessa maneira não seriam os deles”. Este é um excerto do texto “Vou lá Visitar Pastores”, adaptado da obra de Ruy Duarte de Carvalho, que fala sobre os pastores Kuvale, do sudoeste de Angola. “Ele quer mostrar que é ali que está a verdadeira população de Angola. E não nos dirigentes políticos que acumulam carros nos jardins”, diz o actor e encenador Manuel Wiborg, que vai repor a peça nos dias 6, 7 e 8 Setembro no anfiteatro ao ar livre da Fundação Calouste Gulbenkian, no âmbito do programa “Próximo futuro”. Criada em 2004, a peça estreou na Culturgest e foi adaptada, então, por Rui Guilherme Lopes. Agora, ao texto original, Manuel Wiborg acrescenta fragmentos das “Mensagens em Swakopmund”, textos pessoais de Ruy Duarte de Carvalho, escritos naquela cidade do Namibe, onde morre em 2010. Manuel Wiborg, actor e encenador de teatro, cinema e televisão, dá voz a este homem que muito admira.
Manuel Wiborg: Estamos a viver o fim de uma civilização
Lúcia Crespo 28 de agosto de 2015 às 12:00

A peça "Vou lá Visitar Pastores", uma adaptação da obra de Ruy Duarte de Carvalho, foi criada em 2004 a convite do António Pinto Ribeiro para o festival "Mais a )

Conteúdo exclusivo para Assinantes Negócios Premium
Assine e aceda sem limites, no pc e no smartphone Assinar por 1€ por 1 mês



Notícias só para Assinantes
Análise, informação independente e rigorosa..
Para saber o que se passa em Portugal e no mundo, nas empresas, nos mercados e na economia.
Notícias e conteúdos exclusivos no website e aplicações móveis
Newsletter diária exclusiva para assinantes
Acesso ao epaper a partir das 22:00
Saiba mais
pub