João Quadros O tamanho do IVA

O tamanho do IVA

A notícia que me chamou a atenção esta semana, e que deu origem a esta crónica (coitada): "O Tribunal Administrativo e Fiscal de Almada decretou taxa reduzida de IVA nos espectáculos eróticos
João Quadros 11 de janeiro de 2013 às 09:57

"De todas as aberrações sexuais, a mais singular talvez seja a castidade."
Rémy de Gourmont



A notícia que me chamou a atenção esta semana, e que deu origem a esta crónica (coitada): "O Tribunal Administrativo e Fiscal de Almada decretou taxa reduzida de IVA nos espectáculos eróticos: os espectáculos eróticos são artísticos e devem ter IVA a 5%, esclarece o tribunal". Nem discuto a decisão, porque neste caso os juízes sabem do que estão a falar, mas acho injusto que o IVA dos espectáculos eróticos seja de 5% e o das fraldas 6%. Isto significa que é menos taxado mostrar as mamas que dar de mamar. Parece-me injusto.


Não pensem, nem por um minuto, que sou contra espectáculos eróticos. Bem pelo contrário, até acho que deviam estar isentos de impostos. Misturar impostos com erotismo é contraproducente. Acredito que ter de pagar 23% ao Gaspar tire a vontade a qualquer um. O que eu vejo é muita injustiça em termos de IVA.


Um exemplo simples. Se os espectáculos eróticos pagam 5%, porque é que eu tenho de pagar 23% para ir ver o meu Sporting? Não me digam que os espectáculos sado-maso não estão dentro da categoria erótico. Ok, não são muito artísticos, mas espero IVA a 5% para ir ver o Sporting. Vamos a mais um exemplo? Vocês aguentam. Isto é giro, depois que uma pessoa se habitua.


Ora, eu não costumo almoçar e jantar fora porque o IVA faz-me azia (e eles, nos restaurantes, carregam muito no IVA), e acho que 23% é um exagero. A restauração tem sido muito mal tratada. Não pode ser. A restauração, com os seus empregados e todos os seus tiques, não merece ter de passar por isto.


Longe vão os saudosos tempos em que éramos mal tratados nos restaurantes porque eles tinham clientes a mais. Agora, entramos num restaurante e é só simpatia e espaço. Não é natural, e eu não me sinto confortável com isso. Prefiro menos atenção, como dantes. Não quero voltar aos tempos em que entrávamos numa loja e aparecia logo uma empregada ao nosso lado a insistir se queríamos ajuda. Preferia o tratamento de desprezo dos tempos antes da crise. Mas, voltemos ao exemplo dos espectáculos eróticos. Será que, se a dona do snack-bar, aqui em frente, começar a servir as doses de cozido, toda nua (e com música soft) pode passar a pagar só 5% de IVA? Parecendo que não, acho que vale a pena tirar a roupa por uma diferença de 18% no imposto. Eu vou convencer o dono da taberna, aqui da rua, a servir copos de três com uma cobra enrolada ao pescoço, e uns cones nos mamilos, a ver se lhe baixam o IVA.


Resumindo. Acho que é urgente baixar o IVA da restauração. É um desígnio nacional. Uma obrigação do Estado. Reparem. Se o snack-bar fecha, a mercearia onde o tipo do snack-bar ia comprar ovos acaba por ter de fechar. Se a mercearia e o restaurante fecham, o tipo do quiosque deixa de vender jornais às pessoas que iam almoçar ao restaurante (e que compravam água das pedras na mercearia) e também fecha. Se o quiosque fecha, as senhoras de idade que iam fazer as raspadinhas para o quiosque deixam de arrastar os pés até ao quiosque e o sapateiro fecha. Se o sapateiro fecha… etc. O que eu quero dizer é que, salvar a mercearia "Esperançosa da Palmeira" ou o snack-bar "O Caiaque" devia fazer tanto sentido como salvar o Banif. E sai mais barato.


Para terminar, fica a revelação: estou a escrever esta crónica todo nu, com uma máquina de fumos e uma luz fosca. Tenham isso em conta quando me fizerem a retenção na fonte. Obrigado.

 

 

 

Três espectáculos de natureza artística

1. Deputada do PS detida por conduzir com 2,41 g/l de álcool no dia do seu 37.º aniversário: 2,41 de álcool… foi excesso de Mon Chéri.

2.Subsídios em duodécimos podem entrar apenas em Fevereiro - este mês só o Miguel Lopes sabe quanto vai receber.

3.Sporting confirma venda da Izmailov ao Porto e compra de Miguel Lopes - Pinto da Costa está a livrar-se do que já não usa. A seguir vem a Carolina Salgado. Se o Izmailov jogar no Domingo, é mandar para o dragão o Cherbakov e ver no que dá. Godinho Lopes parece um miúdo com fósforos.

 




Marketing Automation certified by E-GOI