Conjuntura Exportações estagnadas com 2016 quase fechado

Exportações estagnadas com 2016 quase fechado

Vendas para o exterior de mercadorias apresentaram uma variação nula de Janeiro a Novembro do ano passado em relação ao mesmo período de 2015, mostram dados do INE.
Exportações estagnadas com 2016 quase fechado
Miguel Baltazar/Negócios
Marta Moitinho Oliveira 09 de janeiro de 2017 às 16:22
O mês de Novembro trouxe boas notícias para a venda de mercadorias ao exterior, mas ainda assim foram insuficientes para traçar uma tendência de recuperação das exportações. As exportações subiram 7,6% em Novembro de 2016 em relação ao mês homólogo. Mas quando se olha para o acumulado do ano é possível ver que as exportações não estão a crescer. Só Dezembro pode mudar esta tendência.

Os dados divulgados esta segunda-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) mostram apenas um lado das vendas para o exterior: o comércio de mercadorias, deixando de fora as compras e vendas de serviços.

Até Outubro, o valor acumulado das exportações estava a recuar 0,7% face ao período homólogo. Nos primeiros 11 meses do ano (ou seja, quase a totalidade de 2016), as saídas de mercadorias registaram uma variação nula.

As vendas para os estados-membros da União Europeia estão a contribuir positivamente para o comportamento das exportações, com um crescimento de 3,7%. São os destinos de fora da UE que estão a pressionar negativamente a evolução das vendas para o estrangeiro. As vendas para estes mercados diminuíram 9,9% entre Janeiro e Novembro em relação ao período homólogo.

Do lado das importações, o comportamento do conjunto dos 11 meses disponíveis aponta para um aumento das compras ao exterior de 0,2%. Só em Novembro as compras subiram 8,4% em relação ao mesmo mês de 2015.

Também no caso das importações de mercadorias, são os mercados da UE que explicam o aumento das compras, com uma subida de 2,3%. Por outro lado, as importações de países de fora da UE recuaram 6,6%. 



    


A sua opinião6
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 09.01.2017

A UE deu uma grande ajuda ao aplicar sanções à Rússia, esta deixou de importar produtos dos países membros.Frutas e legumes, carne de porco , etc, deixaram de ser exportados aquele país

pertinaz 09.01.2017

EH DIABO !!!

Anónimo 09.01.2017

A 31.12.2016, o euro tinha perdido, em relação a 31.12.2015, 3% face ao USA, 6% face ao CAD, 20% face ao BRL, 15% face ao ZAR e tinha valorizado em relação à GBP, devido ao Braxit. Neste contexto de desvalorização do EUR, o crescimento das exportações estagnou...

braguês 09.01.2017

Com a moeda euro sobre valorizada e sem competitividade muito dificilmente qualquer país consegue crescer de forma sustenta e que se veja, e as exportações são também uma consequência disso mesmo.

ver mais comentários
pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub