Economia Furacão Harvey pode ser o pior em 12 anos e já afecta produção de petróleo no golfo do México

Furacão Harvey pode ser o pior em 12 anos e já afecta produção de petróleo no golfo do México

Deve chegar a terra até ao início de sábado, com ventos que podem superar 200 km/h e chuvas torrenciais. Já há refinarias a preparar o encerramento e plataformas petrolíferas evacuadas. O preço da gasolina disparou.
Furacão Harvey pode ser o pior em 12 anos e já afecta produção de petróleo no golfo do México
DR
Negócios com Reuters 24 de agosto de 2017 às 23:46

Um furacão com ventos que podem superar os 200 quilómetros por hora está a progredir em direcção ao estado norte-americano do Texas e ameaça provocar danos nas zonas junto à costa, levou já algumas operadoras petrolíferas a suspenderem a produção.

O Harvey, assim é denominado pelo centro nacional de furacões dos EUA, encontra-se a cerca de 480 quilómetros a Sul-sueste de Port O'Connor, no Texas, e deverá chegar à costa esta sexta-feira à noite ou ao início de sábado, hora local.

Vários equipamentos de exploração e refinação de petróleo localizados nas zonas que podem ser atingidas pela força dos ventos e pelas chuvas torrenciais estão a ser evacuados e o seu funcionamento suspenso.

É o caso da EOG Resources e da Conoco Philips, segundo a Reuters, que limitou as perfurações e fechou alguns equipamentos na região de extracção de petróleo de xisto de Eagle Ford. Já a Apache Corp disse estar a tomar precauções mas não esperar "implicações materiais" das suas operações onshore.

O pessoal não essencial da Conoco Philips foi evacuado da região do petróleo de xisto e igualmente das plataformas petrolíferas no Golfo do México, como aconteceu também com a Shell, a Anadarko e a Exxon Mobil. Dez por cento da capacidade de produção de petróleo das empresas norte-americanas a operar no golfo foi encerrada esta quinta-feira, 24 de Agosto.

Mais de 45% da capacidade de refinação dos EUA está na costa do golfo e cerca de um quinto do petróleo produzido no país vem de plataformas offshore também no golfo.

Este fenómeno que poderá dar origem à maior tempestade a atingir território norte-americano desde 2005 já levou a que se considerasse o encerramento de duas refinarias em Corpus Christi, projectando os preços da gasolina para máximos de três semanas pelos receios de escassez.

O Harvey deverá chegar ao continente como um furacão de categoria 3, o terceiro mais poderoso na escala de Saphir-Simpson e o mais potente a atingir os EUA desde o Wilma há 12 anos.

Quando chegar a terra, são esperadas inundações nas zonas baixas junto à costa, estando as autoridades locais a desencadear as operações de emergência e a incentivar os habitantes a saírem dessas áreas.

As montras de alguns comércios estão a ser tapadas e estão a ser usados sacos de areia para conter as águas, havendo ainda relatos de pessoas a abastecerem-se junto das lojas para se prepararem para o impacto do furacão. 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub