Lei Laboral Governo recusa alterar lei na contratação colectiva
Assinatura Digital. Negócios Primeiro Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE

Governo recusa alterar lei na contratação colectiva

PCP, Bloco de Esquerda e António Costa definiram a dinamização da contratação colectiva como prioritária. Mas o ministro do Trabalho, Vieira da Silva, rejeita o convite da esquerda para alterar a lei e revogar a caducidade dos contratos colectivos.
Governo recusa alterar lei na contratação colectiva
Bruno Simão/Negócios
Catarina Almeida Pereira 09 de Dezembro de 2016 às 00:01

O tema é considerado prioritário pela CGTP, pelo PCP, pelo Bloco de Esquerda e até pelo primeiro-ministro, António Costa. Mas contrariando o que tem defendido a esquerda, que quer eliminar as regras que permitem que os acordos

Assinatura Digital. Negócios Primeiro
Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE
Análise, informação independente e rigorosa.
Para saber o que se passa em Portugal e no mundo,
nas empresas, nos mercados e na economia.
  • Inclui acesso ao ePaper, a versão do Negócios tal como é impresso em papel. Veja aqui.
  • Acesso ilimitado a todo o site negocios.pt
  • Acesso ilimitado via apps iPad, iPhone, Android e Windows
Saiba mais



A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 2 semanas

Deviam acabar com os recibos verdes e obrigar patrôes a contratar

Anónimo Há 2 semanas

Isto diz muito da vontade política que existe em proteger os trabalhadores. Este ministro parece-me mais um enviado para proteger o patronato dos dos direitos adquiridos pelos trabalhadores. Quando as empresas pedem "ajuda" o governo vai a correr conceder-lhes`em troca a precariedade.

Anónimo Há 2 semanas

A coisa resolve-se facilmente, umas vês que os partidos estão todos de acordo, é substituirem o ministro Vieira da Silva, caso contrario, é mais do mesmo, poeira para os olhos do povo.

militar 60 anos reformado sem ter ido a guerra Há 2 semanas

O NOSSO CONTRATO É DE 1ª CLASSE.A UNICA COISA QUE FOI PENOSO FOI ANDAR COM 2 KG DE MEDALHAS AO PEITO, MAS DESCONTAR SÓ 36 ANOS DEU PENSÃO DE 5.000€ MES. UMA MARAVILHA. OS TUGAS FPUBLICOS SÃO OBRIGADOS A TRABALHAR 48 ANOS. COISAS DA DEMOCRACIA

Notícias só para Assinantes
Exclusivos, análise, informação independente e credível. Para saber o que se passa em Portugal e no mundo, nas empresas, nos mercados e na economia. Inclui acesso à versão ePaper.
Mais uma forma de ler as histórias
da edição impressa do Negócios.
Se ainda não é Assinante Saiba mais
pub
pub
pub
pub