Emprego INE diz que Eurostat vai corrigir dados do desemprego para Portugal

INE diz que Eurostat vai corrigir dados do desemprego para Portugal

Instituto português reitera que a taxa de desemprego em Maio desceu para 9,4%, de acordo com os valores provisórios, que diferem dos divulgados esta manhã pelo Eurostat.
INE diz que Eurostat vai corrigir dados do desemprego para Portugal
Paulo Duarte
Nuno Carregueiro 03 de julho de 2017 às 13:52

O Eurostat publicou esta segunda-feira, 3 de Julho, os dados referentes ao desemprego nos países da União Europeia em Maio, que continham divergências face ao reportado pelo Instituto Nacional de Estatística na semana passada.

 

O instituto português, numa nota emitida entretanto, reitera que os seus valores estão correctos e que o gabinete de estatística da Comissão Europeia vai esta tarde comunicar uma correcção aos dados que publicou durante a manhã.

 

"No press release do Eurostat, de hoje (…) os valores para Portugal não estão correctos", sendo que os valores divulgados sexta-feira pelo INE "são os correctos", com um valor provisório de 9,4% para Maio, refere o INE. Que acrescenta que "o Eurostat vai emitir, hoje às 16:00, uma nova nota, com os valores referentes a Portugal corrigidos".

 

Na passada sexta-feira, 30 de Junho, o INE reportou que a taxa de desemprego em Portugal desceu para 9,5% em Abril, três décimas abaixo do divulgado anteriormente. E que a taxa de Maio, de acordo com a estimativa preliminar, baixou para 9,4%.

 

Os dados do INE são habitualmente publicados um ou dois dias antes do relatório do Eurostat, precisamente para o gabinete de estatística europeu incorporar as actualizações do instituto português no seu relatório.

 

Contudo, na nota publicada esta manhã, o Eurostat manteve a taxa de desemprego em Abril no 9,8%, indicando que em Maio a taxa estabilizou no mesmo valor. Serão agora estes valores que o Eurostat vai corrigir.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub