Conjuntura ISEG admite que economia cresça perto de 3% este ano

ISEG admite que economia cresça perto de 3% este ano

A ligeira desaceleração da procura interna no terceiro trimestre deverá ter sido compensada por um contributo mais positivo da procura externa líquida, levando o ISEG a estimar um crescimento mais próximo de 3% no total de 2017, entre as perspectivas mais optimistas.
ISEG admite que economia cresça perto de 3% este ano
Miguel Baltazar/Negócios
Paulo Zacarias Gomes 25 de outubro de 2017 às 11:15
O ISEG estima que o crescimento da economia portuguesa no terceiro trimestre possa estar próximo do verificado no trimestre anterior, o que levará o PIB no conjunto do ano a evoluir para valores mais próximos dos 3%.

Segundo a síntese de conjuntura daquele instituto, a que o Negócios teve acesso, o ISEG estima que entre Julho e Setembro o produto tenha aumentado 2,9%, contra os 3% que a economia cresceu no trimestre anterior - de acordo com os dados do INE. 

A sustentar o desempenho, segundo o ISEG, terá estado um contributo mais positivo da procura externa líquida (com destaque para o potencial de exportação de automóveis produzidos no país), que compensou uma "ligeira desaceleração" da procura interna, tanto em termos de consumo privado como da formação bruta de capital fixo (investimento dirigido à produção).

"Este valor [crescimento de 2,9% no terceiro trimestre] torna mais provável que o crescimento para a totalidade do ano de 2017, anteriormente previsto entre 2,6% e 3,0%, se venha a situar na banda superior desse intervalo," lê-se na síntese de conjuntura do ISEG.

Uma previsão que fica acima das estimativas do Governo (que na proposta orçamental vê a economia a crescer 2,6% este ano, tal como acontece com o Montepio), do FMI e do Banco de Portugal (2,5% em ambos os casos). A Católica e o Conselho de Finanças Públicas têm das previsões mais optimistas: 2,7%.



A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 3 semanas

O socialismo só existe quando há dinheiro para distribuir pelas clientelas quando deixar de haver dinheiro metem a viola no saco à espera que os outros limpem a meerda que eles andaram a fazer! Sempre foi assim porque é que agora havia de ser diferente!

Anónimo Há 3 semanas

Esse professor martelo já foi líder do psd e foi o que se viu
E agora também vai engolir uns sapos igual á líder do cds
Todos querem sobreviver á conta dos incêndios e aproveitar-se dos mais fragilizados

Anónimo Há 3 semanas

Até o professor marteladas está preocupado com isso
Esse que também tenta arranjar um álibi nos incêndios para o segundo mandato
Nem 1 nem dos fascholas os que já estão reformados e os do activo enganam mais o povo

Saber mais e Alertas
pub