Economia João Vieira Lopes: "Se o Parlamento não respeita acordos para que existe a concertação?"
Assinatura Digital. Negócios Primeiro Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE

João Vieira Lopes: "Se o Parlamento não respeita acordos para que existe a concertação?"

O Governo não garantiu a viabilização da redução da TSU no Parlamento, mas as principais críticas de João Vieira Lopes dirigem-se a Passos Coelho. “Tacticismos políticos de conjuntura” podem pôr em causa o papel histórico da concertação social.
A carregar o vídeo ...
Catarina Almeida Pereira e Rosário Lira

O aumento do desconto na taxa social única foi proposto pelo Governo e não pelos patrões. E a hipótese de um chumbo no Parlamento nunca foi seriamente equacionada, até porque nunca uma maioria de deputados tinha posto

)

Assinatura Digital. Negócios Primeiro
Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE
Análise, informação independente e rigorosa.
Para saber o que se passa em Portugal e no mundo,
nas empresas, nos mercados e na economia.
  • Inclui acesso ao ePaper, a versão do Negócios tal como é impresso em papel. Veja aqui.
  • Acesso ilimitado a todo o site negocios.pt
  • Acesso ilimitado via apps iPad, iPhone, Android e Windows
Saiba mais



A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado alberto9 23.01.2017

A concertação social pode existir, o que não pode é ser proposto medidas inconstitucionais e sem acordo parlamentar

comentários mais recentes
NMSousa 23.01.2017

A função do CES é exercida em matéria de política económica e social e estão fora do seu âmbito as questões fiscais que não são privativas dos interesses representados neste órgão.
É na AR que, através dos mecanismos da democracia, estão representados todos os interesses de todos os cidadãos.
A intervenção da AR é útil e certeira; o SMN é um tema das entidades empregadoras e dos representantes dos trabalhadores e o custo que acarreta não tem que ser distribuído por todos os contribuintes.
Neste caso não está em caso a inutilidade do CES mas o abuso de competência.

alberto9 23.01.2017

A concertação social pode existir, o que não pode é ser proposto medidas inconstitucionais e sem acordo parlamentar

Notícias só para Assinantes
Exclusivos, análise, informação independente e credível. Para saber o que se passa em Portugal e no mundo, nas empresas, nos mercados e na economia. Inclui acesso à versão ePaper.
Mais uma forma de ler as histórias
da edição impressa do Negócios.
Se ainda não é Assinante Saiba mais
pub
pub
pub
pub