Mundo Jornal do PC chinês: Trump "pode fazer muito barulho" mas terá que respeitar regras

Jornal do PC chinês: Trump "pode fazer muito barulho" mas terá que respeitar regras

Um jornal do Partido Comunista Chinês (PCC) disse hoje que o Presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, "pode fazer muito barulho", mas que isso "não o isenta das regras do relacionamento entre grandes potências".  
Jornal do PC chinês: Trump "pode fazer muito barulho" mas terá que respeitar regras
Reuters
Lusa 06 de dezembro de 2016 às 07:31

"Ele não tem recursos suficientes para lidar de forma irresponsável com a China", defende o Global Times, jornal de língua inglesa do grupo do Diário do Povo, o órgão central do PCC.

 

Em editorial, o jornal lembra que a China é a maior potência comercial e segunda maior economia mundial, e um poder nuclear, afirmando que, por isso, as palavras de Trump "não se podem converter em acções".

 

"Os comentários imprudentes de Trump sobre uma grande potência ilustram a sua falta de experiência em diplomacia. Talvez ele esteja a sobrestimar o poder dos EUA", aponta.

 

Na sexta-feira, a Presidente de Taiwan, Tsai Ing-wen, conversou por telefone com Trump, no primeiro contacto formal de alto nível entre os EUA e Taiwan, em quase 40 anos.

 

O gesto levou Pequim, que considera a ilha de Taiwan parte do seu território, contra as aspirações independentistas de Taipé, a apresentar um protesto formal a Washington, enquanto a imprensa chinesa acusou Trump de "ignorância" e "inexperiência".

 

Na rede social Twitter, o magnata reagiu assim: "A China perguntou-nos se era bom desvalorizar a sua moeda (prejudicando a competitividade das nossas empresas), taxar fortemente os nossos produtos que entram no seu país (os Estados Unidos não os taxam) ou construir um enorme complexo militar no meio do Mar do Sul da China? Não me parece!".

 

Para o Global Times, os ataques de Donald Trump no Twitter "são apenas um disfarce para a sua real intenção, que é tratar a China como um cordeiro gordo, e cortar um pouco da sua carne".

 

"Trump quer reanimar a economia dos EUA, mas sabe que o seu país não é tão competitivo como costumava ser", conclui.

 




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
pertinaz 06.12.2016

AGUARDO ANSIOSAMENTE PELA RESPOSTA DO TRUMP

A DÍVIDA AMERICANA ESTÁ TODA NOS CHINESES E ÁRABES

CASE STUDY

Luis 06.12.2016

Esta é que é a verdadeira comédia divina. O capitalismo vergado ao comunismo porque os ricos, neste caso, são os comunistas.

pub
pub
pub
pub