Ásia Economia chinesa supera previsões com crescimento de 6,9% no trimestre

Economia chinesa supera previsões com crescimento de 6,9% no trimestre

A segunda maior economia do mundo manteve o crescimento do primeiro trimestre, beneficiando com o contributo positivo da indústria e do consumo das famílias.
Economia chinesa supera previsões com crescimento de 6,9% no trimestre
David Ryder/Reuters
Nuno Carregueiro 17 de julho de 2017 às 08:00

O produto interno bruto (PIB) da China cresceu a um ritmo anual de 6,9% no segundo trimestre deste ano, igualando a taxa de crescimento homóloga dos três meses anteriores e superando as estimativas dos economistas, que apontavam para uma expansão de 6,8%.

 

O bom desempenho da economia chinesa, segundo a Reuters, ficou a dever-se à aceleração do crescimento da produção industrial e do consumo privado, enquanto o investimento continuou forte. Na comparação com o primeiro trimestre, o PIB cresceu 1,7%, em linha com as expectativas dos economistas.

 

O crescimento na economia chinesa tem superado as estimativas este ano, com as exportações a recuperarem no abrandamento do ano passado, numa altura em que o sector da construção continua forte. De acordo com a Reuters, é expectável que o crescimento do PIB abrande no resto do ano, a reflectir as medidas do Governo chinês para restringir o crédito e travar o forte crescimento dos preços do imobiliário.  

 

"De uma forma geral, a economia continuou a mostrar um progresso estável no primeiro semestre (…) mas a instabilidade internacional e as incertezas são ainda elevadas e persistem alguns desequilíbrios estruturais a nível doméstico", refere o instituto de estatística chinesa, que divulgou os dados esta segunda-feira.

 

Desde a crise financeira global de 2008, a China tem recorrido ao crédito para estimular o crescimento económico. No total, a dívida não-governamental cresceu do equivalente a 170% do PIB, em 2007, para 260%, no ano passado, um valor considerado bastante alto para um país em desenvolvimento, refere a Lusa.

 

O Fundo Monetário Internacional (FMI) prevê que a economia chinesa mantenha, em 2017, o ritmo de crescimento atingido no ano passado, de 6,7%, estimulado pelo investimento público. Economistas inquiridos pela Reuters apontam para um crescimento de 6,6%.

 

O Governo chinês tem uma meta menos ambiciosa, apontando para um crescimento de 6,5% este ano, abaixo do registado no ano passado, que já foi o mais reduzido em 26 anos (6,7%).  

 

O instituto de estatística chinesa revelou ainda outros dados relativos ao país, dando conta que a produção industrial cresceu 7,6% em Junho, o que representa o ritmo mais elevado em três meses, enquanto as vendas a retalho cresceram 11% no mesmo mês, o que representa o ritmo mais forte desde Dezembro de 2015.

 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar