Política Monetária Draghi: Europa tem de "fazer muito mais" para conseguir lidar com a próxima crise

Draghi: Europa tem de "fazer muito mais" para conseguir lidar com a próxima crise

Mario Draghi elogia o caminho percorrido pela Europa nos últimos anos, mas diz que é preciso "aprofundar a integração monetária".
A carregar o vídeo ...
Nuno Carregueiro 13 de fevereiro de 2018 às 13:42

O presidente do Banco Central Europeu (BCE) reconhece que a Europa fez um caminho positivo na resposta à crise, resolveu vários problemas e muniu-se de ferramentas para lidar com uma crise futura. Mas adverte que é preciso "fazer muito mais" e "aprofundar a integração monetária".

 

Respondendo a questões no âmbito da iniciativa #askdraghi (na qual os cidadãos europeus podem colocar questões ao presidente do BCE), Mario Draghi afirma que "foram efectuados progressos significativos em todas as frentes", sendo que "muitas economias são actualmente mais competitivas e a dívida pública diminuiu", mas é preciso "fazer muito mais".

 

Respondendo à questão se a Europa está preparada para lidar com uma nova grande crise económica, o presidente reforçou que "a situação mudou, mas temos que continuar a actuar a nível da competitividade e da dívida" e temos "de aprofundar a integração monetária".

 

Quando questionado se a Europa vai recuperar totalmente da recessão, Draghi assinalou que a "última recessão foi a mais severa desde a Grande Depressão dos anos 30", com milhões de pessoas a perderam o emprego. "Mas a economia está agora a crescer há quatro anos e foram criados mais de 7 milhões de postos de trabalho", salientou.  

 

Mario Draghi adverte que os números da recuperação "têm que ser olhados com cuidado e que os empregos criados têm de ter mais qualidade". "A situação é definitivamente mais favorável, mas temos que continuar a melhorar", afirmou o presidente do BCE, acrescentando que a recuperação foi possível devido à política monetária expansionista do banco central.   

A carregar o vídeo ...

 

Quanto ao impacto da evolução da inteligência artificial no mercado de trabalho, Mario Draghi assinala que no passado, com os avanços da tecnologia, foram mais os empregos criados do que os destruídos. "E podemos estar relativamente optimistas que assim será" no futuro, afirmou o presidente do BCE, ressalvando a importância de os trabalhadores que perdem o emprego devido aos avanços da tecnologia, encontrarem emprego noutras áreas.

 

A carregar o vídeo ...



A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
General Ciresp Há 1 semana

Vou comecar a ser mais moderado naquilo q escrevo,se bater certo a culpa e minha,disse ainda ha instantes:a crise de 2008 superou a crise de 1920 mas a proxima q ha-de chegar a fazer o seculo ha-de ser a RAINHA de todas as elas.Se tao depressa o dizia,tao depressa vinha este vidrinho draghi confirma

o BCP vai QUADRIPLICAR Há 1 semana








posição da sonangol foi vendida á FOSUN
QUARTA FEIRA SERÁ O ÚLTIMO DIA DE MILENIUM BCP A MENOS DE 0.35 VEM AI UMA SUPER BOMBA NO DIA DA APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS o MILENIUM BCP vai QUADRIPLICAR ainda este ANO