Eleições Lusodescendentes eleitos deputados em França

Lusodescendentes eleitos deputados em França

Pelo menos quatro lusodescendentes foram eleitos deputados na segunda volta das eleições legislativas em França, assim como uma francesa com estreitas ligações a Portugal.
Lusodescendentes eleitos deputados em França
Reuters
Lusa 18 de junho de 2017 às 23:58

Dominique da Silva, Ludovic Mendes, Anne-Laure Cattelot e Christine Pires Beaune são os lusodescendentes que conquistaram um assento parlamentar, este domingo, e Laëtitia Romeiro Dias é uma francesa casada com um português que também vai entrar na Assembleia francesa.

 

Na 7.ª circunscrição do Val d´Oise, na região de Paris, Dominique da Silva, de A República em Marcha!, conquistou 53,88% dos votos contra Jérôme Chartier (46,12%), um nome conhecido por ter sido porta-voz da campanha do candidato da direita às presidenciais, François Fillon, e que concorria a um quarto mandato consecutivo de deputado.

 

Na 2ª circunscrição de Moselle, Ludovic Mendes, de 30 anos, com raízes em Guimarães, também candidato de A República em Marcha!, venceu por 52,40% dos votos o candidato de Os Republicanos, Jean François, que obteve 47,60% dos votos.

 

Na 12ª circunscrição do Norte, Anne-Laure Cattelot, de "A República em Marcha!", venceu, por 54,04 % dos votos, o candidato da Frente Nacional Gérard Philippe (45,96%), depois de ter perdido face a ele, na primeira volta, por 200 votos.

 

Na 3.ª circunscrição de Essonne, nos arredores de Paris, o assento parlamentar também foi conquistado por um apelido português, Laëtitia Romeiro Dias, uma francesa casada com um português, que bateu, com 57,41% dos votos, a lusodescendente Virginie Araújo, candidata de A França Insubmissa (42,59%).

 

Dos candidatos com origens portuguesas na corrida ao parlamento francês, também foram eliminados Otília Ferreira, na 1.ª circunscrição de Charente-Maritime e Paulo da Silva Moreira, na 1ª circunscrição de Yonne, ambos de A República em Marcha.

 

Otília Ferreira, médica nascida em Portugal, de 60 anos, obteve 30,98% dos votos face a 69,02% conquistados por Olivier Falorni, candidato com a etiqueta Divers Gauche [Esquerda Diversa].

 

Também Paulo da Silva Moreira, médico nascido em Portugal, com 52 anos, perdeu por 47,41% dos votos contra o deputado cessante de direita e antigo porta-voz de Os Republicanos Guillaume Larrivé que obteve 52,59%.

 

Na última legislatura, havia três lusodescendentes: o comunista Patrice Carvalho e os socialistas Christine Pires Beaune e Carlos da Silva, que era o suplente do antigo primeiro-ministro Manuel Valls. 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub