Agricultura e Pescas Floresta vale quase 8% das exportações nacionais

Floresta vale quase 8% das exportações nacionais

Pastas celulósicas e madeira e cortiça são os principais produtos extraídos da floresta portuguesa. Dados mostram importância da floresta para a economia nacional numa altura de graves incêndios.
Floresta vale quase 8% das exportações nacionais
Vítor Mota/Correio da Manhã
Marta Moitinho Oliveira 19 de junho de 2017 às 13:05

A floresta portuguesa dá origem a produtos que valem quase 8% do total das exportações. O peso da floresta para a economia nacional ilustra bem o impacto que pode ter o facto de 95% da floresta do concelho de Pedrogão Grande ter ardido com o incêndio que começou no sábado passado.

De acordo com dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) compilados pela AICEP, as exportações de pastas celulósicas representavam 4,88% do total de exportações em 2016. A este valor juntam-se as exportações de madeira e cortiça que valiam 3,1%. No total, estes dois tipos de produtos geram exportações que correspondem a 7,98% do total das vendas para o estrangeiro.

Dez anos antes, os dois grupos de produtos representavam 8,25% do total das exportações, revelando assim que numa década as exportações de produtos vindos da floresta perderam peso no total das exportações nacionais.

Os mesmos dados da AICEP mostram que foi nas exportações de madeira e cortiça que se registou a maior queda no peso das exportações. Em 2006, a venda de madeira e cortiça para o exterior era igual a 4,23% do total das exportações (contra os 3,1% actuais).

No domingo, o presidente da Câmara Municipal de Pedrogão Grande, Valdemar Antunes, afirmou à Lusa que 95% da floresta do concelho ardeu.

Morreram 62 pessoas no incêndio que começou no sábado, e que ainda é combatido por mais de 1.000 bombeiros e oito meios aéreos. Estão contabilizados 62 feridos.

A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 2 dias

Exportar? só ganha a Soporcel, Portucel , Caima e todas as grandes empresas de celulose, os proprietários dos pinhais e eucaliptos são unicamente " empregados" involuntários dessas empresas que fazem o favor de comprar a madeira ...Este incêndio vai permitir ter madeira DADA.

Camponio da beira Há 3 dias

Pois, Jorge mas há sobreiros a ser queimados também.

Anónimo Há 3 dias

Jorge, Jorge... Por favor... Vai ler os livros de história. Pinhal de Leiria Jorge... D.Dinis o lavrador Jorge!

Camponio da beira Há 3 dias

Agora podemos começar a exportar cinza...e lágrimas....

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub